quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Alface


Dica da semana: Alface
O alface é grande aliada para se preservarem ou se reconquistarem a saúde, e o peso ideal.Por isso,médicos e nutricionistas recomendam-na para cardápios de verão e de inverno.Há vários tipos de alfaces cujas propriedades variam.A alface romana tem o nível mais alto de luteína e zeaxanthina. A luteína previne, entre outros, a deteriorização da mácula dos olhos, que pode levar a cegueira. A alface americana é a mais pobre em nutrientes.As alfaces verdes comuns tem vitamina A,vitamina K e luteína e zeaxanthina.Além das vitaminas mencionadas, a alface tem quantidades razoáveis de vitamina B5 ou niacina e vitamina C. A niacina evita doenças da pele e problemas do aparelho digestivo. A vitamina C age contra infecções, ajuda na cicatrização e evita a fragilidade dos ossos e dentes. A alface fornece ainda cálcio, fósforo, manganês,potássio e ferro. Cada 100g de alface fornecem 15 calorias.

Fonte: www.lojinhadaeva.com.br

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Desabafo 3

Oiii!!

Estou escrevendo mais um desabafo... preciso!!

Preciso dizer que quero emagrecer e me seguro ao máximo, mas me dá um negócio e acabo comendo "ahhh só uma batatinha"... "ahhh só um bombom"... E assim vai... Depois fico revoltada!!!!

Estou me sentindo com a barriga inchada, por isso adorei o texto que coloquei abaixo... e tem o que é de incentivo para não deixar o objetivo... O meu objetivo não é emagrecer por vaidade somente, mas para me sentir melhor comigo mesma...Tipo "Eu consegui!!" sabe? Consegue entender? É um baita e difícil desafio!!!

Sinto dor nas costas... no joelho... e sei que é de estar acima do meu peso... E aí fico triste/preocupada por "n" motivos e mando chocolate ou comidas que não devia prá dentro...

Estou me planejando para fazer caminhada nas férias... Adoro comer frutas, legumes, verduras... Controlo muito o refrigerante e bebo um pouquinho só se não tiver outra coisa para beber... O meu problema é pão e chocolate... e também não fazer exercícios!!!
Sim eu queria um milagre!!!!rs..rs..

O negócio é ter fé em mim, maior controle e pegar o maridão para babá dos pequenos nas férias para conseguir fazer pelo menos caminhada para ajudar na redução das medidas ainda mais nessa época de festas e férias....rs..rs.. Pelo menos para não aumentar...rs..rs..!!!! Só por Deus!!rs..rs..



FELIZ NATAL!!!!!

Dicas para não desistir de emagrecer

O peso incomoda e marcamos um dia para começar o emagrecimento, geralmente é nas segundas ou “amanhã” o primeiro dia até que vai bem, meio sofrido mas lembramos a todo momento que é por um bom motivo.

Mas dai chega o segundo dia, o terceiro e a vontade de se manter firme é excassa ou nem existe mais.

Pra que isso não aconteça e você tenha sucesso em seu emagrecimento trago algumas dicas para se manter e NÃO desistir de emagrecer.

A dieta ideal. Escolha uma dieta que combine com a sua personalidade, gostos alimentares e estilo de vida – será meio caminho andado para o sucesso. Não adianta pegar um cardapio onde tem certinho o que tem que comer se odeia rotina, ira acabar deixando de lado.

Acompanhamento do nutricionista: Se tem dificuldades em manter uma dieta, uma boa opção é passar a ser seguido por um nutricionista. Se tiver alguém a quem mostrar resultados, estará certamente mais motivado para não desistir da dieta.

Anote: Ter um Diário alimentar é um dos melhores métodos para manter uma dieta sem qualquer acompanhamento profissional. Anote tudo aquilo que come e bebe diariamente, juntamente com as respectivas calorias – com este registo detalhado será mais fácil verificar onde estão as suas fraquezas e os seus pontos fortes no que toca à alimentação, assim como monitorizar os sucessos e melhorar as áreas de maior tentação.

Estabeleça metas e comemore os sucessos: Seja realista e defina metas que poderá cumprir. A dica é a cada 5kgs eliminados ou ate menos. Assim fica mais facil de ver os resultados e ira se sentir mais motivada a continuar no processo de emagrecimento.

Longe das tentações: Um dos principais motivos responsáveis pela desistência de uma dieta é não conseguir dizer não às tentações alimentares que nos rodeiam. Livre-se de tudo o que é doce, gorduroso e altamente calórico,recheando a geladeira e a dispensa com alternativas saudáveis e baixas em calorias. Se não tiver à sua beira as guloseimas que têm minado as suas dietas anteriores, vai evitar cair em tentação e será mais fácil manter o seu caminho rumo ao emagrecimento.

Visualize o atual e a recompensa. A visualização é uma das melhores formas de atingir objectivos, por isso, separe uma fotografia de como você está agora e outra com uma imagem de algo aproximadamente de como quer ficar, de alguem que lhe inspira, ou de uma roupa que quer vestir Para além de ser um lembrete diário e uma motivação extra para continuar a cumprir a dieta, mostra-lhe que os resultados finais estão à sua frente, é apenas uma questão de trabalhar para os alcançar!

Privação Não: O maior inimigo de uma dieta bem sucedida é a privação total, ou seja, deve permitir-se um pequeno prazer ao longo de toda a duração da dieta. Pode ser um doce, uma bebida, uma massa – seja o que for, é importante ter algo do qual possa desfrutar diária ou semanalmente e que o ajude a pensar que vale a pena todo o resto.

Aprenda a comer fora. Muitas pessoas parecem não ter qualquer tipo de problema em manter a dieta quando comem em casa, mas quando chega a altura de almoçar ou jantar fora, “estragam” tudo. Não é difícil manter a dieta quando se come fora, é apenas uma questão de bom senso: aprenda a fazê-lo correctamente e verá que não tem de abdicar de sair só por causa da dieta. No entanto, se este é um problema recorrente, evite, durante uns tempos, o almoço semanal com os colegas de escritório ou a pizza de domingo à noite com a familia.

Não desista. Só porque na noite anterior foi a um jantar de aniversário e cometeu alguns excessos não quer dizer que tem de dar por terminada a dieta! Desistir é fácil, o difícil é voltar à dieta logo no dia seguinte. Os deslizes acontecem e não são sinal de fracasso, são apenas um sinal que tem de se esforçar para continuar em frente. Abusou? Recompense no(s) dia(s) seguinte(s).

Não passe fome. Fazer uma dieta e conseguir alcançar a perda de peso desejada não implica que tenha de passar fome – se o fizer, não está a seguir uma dieta alimentar saudável. Existem muitas maneiras de emagrecer sem passar fome, por isso, saiba fazer uma dieta inteligente, que não o deixe fisicamente debilitado e com vontade de desistir de imediato.

Quebre a monotonia à mesa. Estar de dieta não quer dizer comer as mesmas comidas desenxabidas todos os dias – aproveite esta altura para comprar um livro de alimentação saudável ou pesquisar algumas receitas novas, aprenda diferentes formas de cozinhar legumes, tempere os alimentos com mais ervas aromáticas e menos sal, faça de cada refeição um verdadeiro banquete de cores e aromas irresistíveis.

Apoio emocional. Em termos de apoio alimentar, está por sua conta, ou seja, está nas suas mãos aquilo que mete à boca. Embora seguir uma dieta, com a esperança de ser bem-sucedido, não seja tarefa fácil, pode tornar-se mais agradável e até divertido se tiver um amigo ou familiar a acompanhá-lo. Para além de se poderem motivar mutuamente, estarão presentes um para o outro nos bons e nos maus momentos. Em alternativa, procure apoio emocional em blogs ou sites de dietas.

Mantenha-se ocupado. É mais fácil pensar na comida e na dieta – e consequentemente ceder às tentações – se não estiver ocupado, por isso, mantenha-se entretido, de preferência com alguma actividade física. Ao incluir o exercício físico no seu dia-a-dia irá não só auxiliar a perda de peso, como sentir-se-á mais motivado para seguir uma deita alimentar saudável… e é uma excelente maneira de ocupar o tempo!

E não se esqueça: NUNCA desista de você!

Fonte:http://blogosferalight.com.br/blog/2011/11/dicas-para-nao-desistir-de-emagrecer/

Livre-se da Barriga Inchada



O calor esta ai e a gente começa a usar roupas mais curtas e justas no corpo e é ai que a barriga inchada incomoda e muito.

Como Evitar:
Mastigue devagar os alimentos
Mastigar correctamente os alimentos é o primeiro passo para evitar a barriga inchada, se mastigar os alimentos devagar a digestão será mais rápida, por outro lado, a sensação de saciedade demora a chegar ao cérebro se você comer devagar, o cérebro vai receber a mensagem e você vai comer menos, evitando assim a barriga inchada.

Prepare bem o seu prato
O que come é fundamental, quando se servir de comida lembre-se deste truque, metade do prato deve ser só salada crua, sem molhos para evitar a barriga inchada. A outra metade é dividida numa porção de carbo hidratos( prefira os integrais ) e outra porção de proteínas. Aposte em alimentos integrais, procure massa, arroz, pão nestas versões, são igualmente saborosos e facilitam a perda de peso e o funcionamento do intestino. As carnes brancas ( frango, peru, coelhos) também devem fazer parte da sua ementa diária, assim, como o peixe evitam a barriga inchada.

Aposte em ementas saudáveis
Evite o consumo de alimentos ricos em gordura, a gordura é um inimigo da barriga inchada porque dificulta a digestão. Os açúcares também devem ser evitados, eles levam à acumulação de gases na barriga.

Evite fumar
O fumo facilita a acumulação de gases no aparelho digestivo e para evitar a barriga inchada.

Beba muitos líquidos
Ao longo do dia beba bastante água e chá, cerca de 2 litros por dia, mas evite beber líquidos depois das 19 h. Beber durante as refeições também ajuda a reter líquidos por isso deve evitar. Evite as bebidas que contém cafeína, gás e álcool. O álcool e as bebidas açucaradas ( sumos e refrigerantes) provocam gases e, consequentemente, barriga inchada e prisão de ventre.

Coma várias vezes ao longo do dia
Faça 6 refeições ao longo do dia, coma várias vezes ao dia mas em poucas quantidades. As refeições devem ser divididas em : pequeno almoço, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia. Saltar refeições faz com que sinta mais fome e coma mais rapidamente e sem mastigar, provocando a barriga inchada.

Evite os Alimentos que provacam
Como já referimos anteriormente uma má alimentação pode desencadear o aparecimento da barriga inchada, de facto, existem vátios alimentos que podem provocar a barriga inchada, o intestino preso, gases, acumulação de líquidos.

refrigerantes
feijão
queijo
carne vermelha
carne de porco
charcutaria ( chouriça, linguiça,paio etc…)
sal em excesso
ervilhas
lentilhas
grão-de-bico
soja
amendoim
brócolos
batata-doce
repolho
couve-flor
massas
alfaces,
leite, a intolerância à lactose pode provocar gases.
chocolate,
fruta ( pêssego, banana, ameixa,)
doces
fritos
O chá contra a barriga Inchada:
Existem vários chás que ajudam a combater os problemas que provocam a barriga inchada, o chá de carqueja é dos que tem mais efeitos no combate a este problema, o chá de carqueja é ideal para regular a flora intestinal e facilitar a digestão dos alimentos, para além disto, o chá de carqueja ajuda a perder peso e a barriga inchada.

Preparação do chá de carqueja para combater a barriga inchada

Ingredientes.
Chá de carqueja ( venda em supermercados e ervanárias)
Água

Preparação:
Coloque duas 2 colheres de sopa de carqueja em meio litro de água e deixe ferver. Abafe durante cerca de cinco minutos. Beba um copo de chá de carqueja quente antes do almoço e do jantar. Também pode beber ao longo do dia, se preferir pode adicionar algumas gotas de sumo de limão.

Fiquei feliz em saber sobre o chá de carqueja é o que estou consumindo no momento, só que uso aqueles de sache.

Fonte de consulta: Espaço Mulher

Fonte: http://blogosferalight.com.br/blog/2011/11/livre-se-da-barriga-inchada/

Alimentos que controlam ansiedade



Ansiedade engorda! Toda vez que você se estressa, seu cérebro recebe um aviso de que algo está errado. “O organismo, então, reage aumentando os níveis de cortisol, hormônio que multiplica as células de gordura e descontrola o apetite”, explica o endocrinologista Luciano Giacaglia. Logo, para saciar a fome, as pessoas investem em alimentos ricos em carboidratos (massas e pães) e açúcares (doces). Afinal, eles estimulam a produção dos hormônios do prazer – dopamina e serotonina.

Mas, se é impossível driblar o estresse, como controlar a ansiedade sem inflar? A saída está em uma dieta rica em aminoácido triptofano, magnésio e vitamina B6. “Essas substâncias também aumentam a produção de serotonina. Porém, estão em alimentos que não engordam”, ensina a nutróloga Tamara Mazaracki. Conheça então a dieta que contém esses ingredientes e seque até 8 kg por mês.

Ansiedade é uma doença?
Em princípio, não se trata de uma patologia. “Contudo, pode se tornar uma caso passe a atrapalhar o cotidiano da pessoa”, afirma Vladmir Bernick, psiquiatra do Hospital Alemão Oswaldo Cruz. Os sintomas do problema podem surgir de duas formas: psíquica (angústia, aperto no peito, malestar) e funcional orgânica (falta de ar, rosto quente).

Emoções que fazem você comer mais
1. À espera de alguma resposta importante ou quando se privam de fazer algo de que gostam, as pessoas tendem a sentir um vazio emocional. “Em geral, confundem esse sentimento com fome”, explica Bernick.

2. O indivíduo costuma, erroneamente, pensar: ‘Como trabalho muito e sofro demais, mereço comer’. “Ou seja, o alimento é a recompensa mais fácil. Assim, todos acabam recorrendo a ele”, diz o psiquiatra.

O que os ansiosos…
… devem comer e beber
· Leite e derivados (queijo, iogurte)
· Peixe e frango
· Cereais integrais (aveia, arroz)
· Folhas verdes (alface, espinafre)
· Tomate
· Água de coco
· Frutas como banana e abacate
· Linhaça e semente de gergelim

… precisam evitar
· Café
· Refrigerantes escuros
· Açúcar refinado
· Guaraná em pó
· Gorduras e frituras
· Derivados da farinha e trigo branca

Sucos e chás que combatem o estresse
Sucos
1. No liquidificador, bata 250 ml de água de coco, 1/2 banana, 10 folhas de hortelã e 1 colher (sopa) de linhaça. Beba duas vezes ao dia – de manhã e à tarde.

2. No liquidificador, bata 1 copo de suco de caju, 6 morangos, 1 folha de couve, 1 folha de alface e 1 colher (sopa) de aveia. Ingira, no máximo, duas vezes ao dia – de manhã e à tarde.

3. No liquidificador, bata 1 colher (sopa) de hibisco solúvel, 1 pedaço de batata yacon, 1 xícara (chá) de chá pronto de melissa e 1 copo de água de coco. Tome três copos do suco distribuídos ao longo do dia.

Chás
1. 1 colher (chá) bem cheia de uma destas ervas: camomila, erva-doce, cidreira, hortelã, folhas de maracujá ou alecrim + Água fervente + Mel + Canela em pó. Cubra a erva com a água num recipiente e deixe-o tampado de três a cinco minutos. Coe e adoce com o mel. Acrescente a canela em pó. Beba de três a quatro xícaras (chá) por dia, uma delas sempre antes de se deitar.

2. 1 punhado de melissa, mulungu, java, oliveira e bugre + 1 litro de água. Coloque as ervas na água e deixe ferver por 20 minutos. Coe e tome uma xícara (chá) cinco vezes ao dia.

Dieta para secar e controlar ansiedade
Café da manhã: 1 copo de leite de soja ou desnatado + 1 colher (sopa) de farinha de chia ou amaranto + 1 colher (sobremesa) de farinha de linhaça + 1/2 mamão papaia + 1 colher (sobremesa) de semente de abóbora (Bata tudo no liquidificador e beba.)

Às 10H: 1 maçã com casca + 2 castanhas-do-pará + 1 fruta seca (uva-passa, ameixa, damasco)

Almoço/Jantar: 2 colheres (sopa) de grão-de-bico temperado com azeite + 3 colheres (sopa) de arroz integral + 2 colheres (sopa) de feijão + 2 filés de peixe grelhado (três vezes na semana) + 2 filés de frango grelhado (duas vezes na semana) + 2 bifes (duas vezes na semana) + 1 verdura refogada + Salada verde variada (com azeite extravirgem, vinagre de maçã e sal light)

Sobremesa: 1 fatia de melão ou 1 pote de gelatina diet

Às 16H: 1 pote de iogurte com 1 colher (sopa) de farinha de linhaça + 1 fruta + 1 fatia de queijo branco + 1 fatia de pão integral

Às 22H: 1 copo de leite de soja + 1 colher (sobremesa) de semente de girassol + 2 colheres (sopa) de gelatina diet pronta (Bata tudo e beba.)

http://mdemulher.abril.com.br/dieta
http://blogosferalight.com.br/blog/2011/12/alimentos-que-controlam-ansiedade/

Açúcar contribui para envelhecimento, mostra pesquisa.



Pessoas que consomem mais açúcar parecem mais velhas

Uma pesquisa desenvolvida pelo Centro Médico da Universidade de Leiden e pela Unilever mostrou, pela primeira vez, que existe relação entre açúcar e envelhecimento. Pessoas com nível mais alto de açúcar no sangue aparentam ser mais velhas. A proporção, segundo o estudo, é de cinco meses a mais de idade para cada aumento de 1 mmol/litrode açúcar no sangue.

A pesquisa analisou os níveis de açúcar de 600 homens e mulheres, com idade entre 50 e 70 anos. Os testes de glicose foram feitos sem que as pessoas estivessem em jejum. Depois disso, todos tiveram os rostos fotografados. As fotos foram, então, mostradas a 60 avaliadores independentes.

O estudo foi feito na Holanda e mostrou que, as pessoas com mais açúcar tinham o rosto mais velho. A pesquisa também identificou que o rosto de diabéticos – que passam muitos anos com nível elevado de glicose no organismo – tinha aspecto mais velho do que o das pessoas que não tinham diabetes.

Mesmo levando em conta fatores que influenciam no envelhecimento da face, como exposição ao sol e tabagismo, o resultado foi o mesmo.

Para os pesquisadores, esse novo dado pode servir como incentivo para as pessoas se preocuparem mais com a alimentação. “Enquanto há todo um corpo de pesquisa que mostra que altos níveis de glicose no sangue fazem mal para a saúde das pessoas, esse estudo sugere também que isso não vai ajudá-las a manter uma aparência jovem”, afirma o David Gunn, cientista sênior dos laboratórios de Pesquisa & Desenvolvimento da Unilever em Colworth Science Park

Para o pesquisador, é preciso ainda realizar mais estudos sobre o tema.

Fonte: http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI283449-17770,00-ACUCAR+CONTRIBUI+PARA+ENVELHECIMENTO+MOSTRA+PESQUISA.html

Células de gordura podem murchar, mas o número delas se mantém




Pessoa que já foi gorda tem que cuidar do peso para o resto da vida.

No Brasil, 15% da população é obesa, segundo dados oficiais.

Muitas pessoas acham que os gordinhos são assim porque querem, e atribuem o excesso de peso a preguiça, falta de vergonha ou desleixo.
O fato é que a obesidade é uma doença, e esse número vem crescendo no mundo todo. No Brasil, 15% da população já é considerada obesa, segundo os dados oficiais mais recentes.

O endocrinologista Alfredo Halpern explicou que, quando um indivíduo engorda, produz uma quantidade maior de células de gordura. Ao emagrecer, essas células murcham, mas não desaparecem – a quantidade só aumenta, nunca diminui.
Portanto, alguém que já teve 100 kg e hoje está com 60 kg jamais será igual a uma pessoa de 60 kg que nunca ganhou peso.

Quem já foi obeso guarda no corpo as células de gordura que um dia foram inchadas, além de sofrer mudanças na expressão de genes que favorecem a obesidade, como aqueles que estocam energia. É por essa razão que o metabolismo fica mais lento.
Quanto mais tempo o indivíduo mantiver um peso alto, portanto, mais células gordurosas vai produzir e por mais tempo o corpo vai guardar a informação desse número na “memória”.

Preconceito contra os gordos
De acordo com uma pesquisa feita no Brasil em 2010, sete em cada dez empresários têm algum tipo de restrição para contratar pessoas acima do peso. E essa é uma constatação de quem está na fila do emprego.

O excesso de peso sempre chama a atenção, não interessa quem é a pessoa, se tem fama ou é anônima.

O ator Leandro Hassum, que trabalha no Zorra Total, diz que já sofeu com pré-julgamentos sobre sua condição de saúde e limitações físicas. Ele foi recusado para um emprego de garçom porque um uniforme sob medida teria que ser feito especialmente para ele.

Fonte: http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2011/12/celulas-de-gordura-podem-murchar-mas-quantidade-sempre-se-mantem.html

Coçar os olhos e ler no escuro ou deitado podem prejudicar a visão

Cerca de 80% das informações que recebemos chegam pelos olhos.

Ideal, segundo médico, é não apagar luz para usar computador ou ver TV.

A visão é um dos mais importantes meios de comunicação com o ambiente, já que cerca de 80% das informações que recebemos chegam pelos olhos.
Alguns hábitos corriqueiros, como coçar a vista e ler no escuro ou deitado, podem ser prejudiciais à visão.
Ler com o livro muito perto pode forçar o cristalino (espécie de diafragma do olho) e favorecer a miopia. Também pode ser um sinal de que a pessoa já sofre de algum problema de refração. A distância mínima ideal é de 30 cm, segundo o oftalmologista Samir Bechara, do Hospital das Clínicas de São Paulo.

Já ler deitado propicia um achatamento dos olhos, o que é ruim para a saúde deles. E ler no escuro dilata a pupila e causa desconforto. Por isso, o melhor é não apagar a luz para usar o computador ou ver TV. Você corre o risco de se cansar mais e ficar com dor de cabeça.
No caso de ler em um veículo em movimento, como carro, ônibus, trem ou metrô, há um maior esforço dos músculos dos olhos para mantê-los paralelos, o que pode provocar desconforto e favorecer o estrabismo.

...
Nunca coce os olhos: lave-os. Ao esfregá-los, você pode ferir a região e até causar uma deformação progressiva na córnea, chamada ceratocone, que desencadeia astigmatismo e deixa os olhos em formato de cone na parte frontal.
O programa falou, ainda, sobre uma campanha da Associação para Crianças e Adolescentes com Câncer (Tucca) para detecção precoce de retinoblastoma, um tipo de câncer nos olhos. Uma simples foto com flash é capaz de revelar essa doença grave, e a chance de cura chega a 90%. Quando tem a doença, o olho aparece com uma mancha branca, reflexo do tumor.

A médica Ana Escobar também disse que, até os dois meses de idade, o bebê pode ser um pouco estrábico, porque os músculos dos olhos ainda estão um pouco frouxos.
Para evitar problemas de visão em geral, a recomendação é procurar um especialista uma vez por ano ou a cada dois anos. Além disso, não se deve usar, sem orientação médica, colírios que contêm remédio na formulação.

Fonte:http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2011/12/cocar-os-olhos-e-ler-no-escuro-ou-deitado-podem-prejudicar-visao.html

sábado, 3 de dezembro de 2011

Alimentação benéfica ao fígado

Nutricionista fala sobre alimentação benéfica ao fígado

Karin Honorato recomenda frutas, verduras, ervas e água.
Excesso de gordura pode provocar a esteatose hepática.


...Segundo a nutricionista, o excesso de gordura pode provocar nas células do fígado a esteatose hepática, ou fígado gorduroso não alcoólico.

Para o tratamento, segundo Karin, a pessoa deve mudar os hábitos alimentares, perder peso, se estiver com ele acima, e principalmente se estiver com acúmulo de gordura abdominal. “Para isso você deve fazer uma dieta equilibrada e bem acompanhada porque você não pode perder peso rapidamente e nem ficar muitas horas sem se alimentar. Isso acaba piorando a situação e é fundamental fazer exercícios físicos”, afirma.

O melhor diagnóstico para a esteatose hepática é por meio de exame de sangue, que confere as transaminases do fígado ou por um ultrassom abdominal, de acordo com a nutricionista.

Alimentos que liberem muita insulina devem ser evitados, segundo Karin. Assim como alimentos com muito açúcar, gordurosos, compostos por farinha branca e alimentos industrializados. De acordo com a nutricionista, o excesso de carne vermelha e de bebida alcoólica complica ainda mais.

Para o tratamento e até mesmo para que se evite a doença, a nutricionista recomenda as frutas e as verduras, principalmente as escuras. “A beterraba também tem um valor importante na limpeza do fígado“, diz. Segundo Karin, as frutas vermelhas ajudam a dar energia para o fígado.

O gengibre, o alho e a cebola também são recomendados por Karin. Ela ainda mostra os grânulos de lecitina de soja.

As bebidas ajudam a eliminar as substâncias tóxicas do organismo, principalmente do fígado, segundo a nutricionista. “Por isso água é fundamental. Consumir, no mínimo, oito copos de água pura ao dia ajuda na eliminação das impurezas”, afirma.

O suco de clorofila, que pode ser encontrado em casas de produtos naturais, também é recomendado. De acordo com Karin, a planta dente de leão, que pode ser encontrada ainda em forma de extrato, ajuda o organismo a eliminar resíduos do fígado e melhora o funcionamento da bile.

O boldo e a alcachofra fígado contém substancias hapatoprotetoras . Louro, funcho alecrim e a cúrcuma ajudam a regenerar as células do fígado.
Segundo Karin, o fígado ajuda a absorver vitaminas e minerais, a sintetizar proteínas, a eliminar hemaceas mortas e os ‘agressores do organismo’. Ajuda também na produção de mais de 70 por cento do colesterol.

Fonte:http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2011/12/nutricionista-fala-sobre-alimentacao-benefica-ao-figado.html

Dieta saudável pode reduzir risco de câncer em pelo menos 40%, diz Inca




Frutas, legumes, verduras e cereais ajudam a evitar alterações celulares.
Pele, mama, próstata, pulmão, colo do útero, cólon e reto são mais comuns.

A incidência de câncer em uma pessoa depende de muitos fatores e hábitos de vida, como o tabagismo, o consumo de álcool e a alimentação.
Uma dieta equilibrada, rica em frutas, legumes, verduras e cereais integrais, é importante para manter o bom funcionamento do organismo e, portanto, evitar alterações celulares.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), uma alimentação saudável pode reduzir o risco da doença em pelo menos 40%. As vitaminas, fibras e outras substâncias ajudam as defesas naturais do corpo a destruir agentes cancerígenos antes que eles causem danos graves às células.

Esses tipos de alimentos também podem bloquear ou reverter os estágios iniciais da formação de um tumor, como destacaram a oncologista Fernanda Capareli e o cirurgião do aparelho digestivo Fábio Atui, novo consultor do programa.
O Inca define câncer como um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado (maligno) de células que invadem os tecidos e órgãos, podendo espalhar-se (metástase) para outras regiões do corpo.

O último informe do Inca projeta, para os próximos dois anos, 518.510 novos casos de câncer no Brasil, com maior incidência dos tipos de pele não melanoma, próstata, pulmão, cólon e reto, e estômago no caso dos homens. Entres as mulheres, os mais frequentes são os tumores de pele não melanoma, mama, colo do útero, cólon e reto, e tireoide.

Fritar, grelhar ou preparar carnes na brasa a temperaturas muito elevadas pode criar compostos que aumentam o risco de câncer colorretal e de estômago. Por isso, métodos de cozimento que usam baixas temperaturas são escolhas mais saudáveis, como vapor, fervura, ensopado, guisado, cozido ou assado.

As alterações celulares no estômago, cólon e reto também podem decorrer de uma alimentação pobre em fibras, com alto teor de gorduras e calorias, como as comidas fast food. A principal hipótese dos médicos para que isso aconteça é porque, sem a ingestão de fibras, o intestino funciona mais devagar. Por esse motivo, a mucosa fica mais tempo exposta aos agentes cancerígenos.

A ingestão de muita gordura pode alterar, ainda, os níveis de hormônios no sangue, elevando o risco de câncer de próstata e mama.

Gorduras saudáveis
Dê preferência às gorduras de origem vegetal, como o azeite e o óleo de soja, lembrando que eles não devem ser expostos a temperaturas muito altas. Essas opções são melhores que as gorduras de origem animal (manteiga, leite, banha de porco e gordura da carne) e algumas vegetais, como margarinas e gordura vegetal hidrogenada.

Além disso, não exagere nos defumados e churrascos, pois esses alimentos são impregnados pelo alcatrão proveniente da fumaça do carvão, o mesmo encontrado no cigarro, que tem ação cancerígena comprovada.


Prato colorido
O licopeno do tomate, que dá a coloração vermelha, é um potente anticancerígeno. Frutas e vegetais vermelhos e roxos, que contêm flavonoides ou resveratrol (presente na casca das uvas e no vinho), elevam a ação antioxidante e antitumoral.
As frutas alaranjadas e amarelas, por sua vez, têm carotenoides, que protegem o DNA contra a oxidação. A laranja apresenta ainda ácido ascórbico (vitamina C), monoterpenos e limonemos (compostos de óleos cítricos), que produzem ação antioxidante e diminuem a toxicidade de substâncias capazes de sofrer mutações.

Da mesma forma, o brócolis também tem ação anticancerígena. Na soja, as isoflavonas desempenham função antioxidante e antitumoral. E, nos peixes, o ômega 3 é um excelente antioxidante, que diminui a proliferação de células retais cancerígenas e reduz o risco da doença na laringe.

Fonte:http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2011/12/dieta-saudavel-pode-reduzir-risco-de-cancer-em-pelo-menos-40-diz-inca.html

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Chega de Prozac – coma iogurte



Nosso intestino tem uma rede de 100 milhões de neurônios. Ao cuidar bem dele, podemos curar males como ansiedade e depressão

Não é à toa que o intestino vem sendo chamado por médicos e cientistas de nosso segundo cérebro. Em suas paredes, há uma rede de 100 milhões de neurônios e os mesmos neurotransmissores que são encontrados na cabeça, como a serotonina, reguladora do humor. Essa imensa rede nervosa se comunica diretamente com nossa mente. Assim, cuidar bem de nosso intestino poderia ser bom para a cabeça, inclusive para o tratamento de doenças psíquicas. “Uma grande parte de nossas emoções é provavelmente influenciada pelos neurônios em nosso intestino”, afirma Emeran Mayer, professor da escola de Medicina da Universidade da Califórnia.

A grande aposta na área atualmente são os chamados probióticos, micro-organismos que inibem a proliferação de bactérias intestinais nocivas. Eles estão presentes em alguns leites fermentados e iogurtes — em geral, com indicação no rótulo — e também são vendidos como suplementos alimentares em farmácias e lojas. Sua ingestão estimularia no cérebro a produção de neurotransmissores responsáveis pela sensação de bem-estar. Pesquisas vêm mostrando, ainda em cobaias, que esses bichinhos em nosso aparelho digestivo poderiam ajudar a dar fim a problemas que vão de ansiedade à depressão. Conheça abaixo alguns dos principais estudos de acordo com o sintoma.

ACABA COM OS SINTOMAS
Confira pesquisas científicas que mostram que comer probióticos pode melhorar a mente — além da pele

IRRITABILIDADE > Pesquisadores do Departamento de Psicologia da Universidade da Virgínia, EUA, demonstraram que as bactérias causadoras de infecções gastrointestinais fazem com que o nervo vago (que conecta o intestino ao cérebro) transmita sinais que ativam as regiões cerebrais que processam sensações como medo e ansiedade. Ao inibir a proliferação dessas bactérias, os probióticos ajudariam a regular o humor.

DEPRESSÃO > Ratos tratados com o probiótico Bifidobacterium infantis tiveram os níveis de triptofano, um precursor da serotonina, elevados em duas áreas cerebrais associadas com o humor e as emoções. Os resultados são de um estudo da Universidade College Cork, na Irlanda. A conclusão é de que esse tipo de probiótico pode ter propriedades antidepressivas.

ANSIEDADE > Em um estudo feito por pesquisadores da Universidade de McMaster, no Canadá, cobaias infectadas de propósito com o parasita Trichuris muris desenvolveram, além de inflamação no intestino, sintomas de ansiedade. Ao serem tratadas com o probiótico B. longum, os sintomas foram revertidos.

PROBLEMAS DERMATOLÓGICOS > Lactobacilos vivos melhoraram inflamações de pele e perda de pelo em ratos estressados. O resultado é de um estudo feito no Hospital Universitário Charité, de Berlim, e levaram os pesquisadores a crer que a ingestão do probiótico Lactobacillus reuteri ajudaria a melhorar problemas dermatológicos decorrentes do estresse.

Fonte: http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI269837-17933,00-CHEGA+DE+PROZAC+COMA+IOGURTE.html

Sal x Pressão Alta



Para evitar a pressão alta, consuma até uma colher de chá de sal por dia
Média de consumo diário do brasileiro, porém, é mais que o dobro disso.
Cerca de 25% da população tem hipertensão, que costuma ser silenciosa.

As pessoas comem sal o tempo todo, muitas vezes sem perceber. Não é porque você não adicionou o condimento à comida que ela já não esteja salgada o suficiente – e até mais que o recomendado.
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde, os brasileiros devem ingerir no máximo 5 gramas de sal por dia, o equivalente a uma colher de chá. A média de consumo, porém, é de 12 gramas diários.
Quando o pai e a mãe são hipertensos, a chance de o filho ter pressão alta é de 60%. E metade dos casos de hipertensão – que atinge 25% da população – é causada pelo excesso de sal, composto por cloreto de sódio (40%) e cloreto de potássio. Segundo a cardiologista Ludmila Hajjar e o nefrologista Décio Mion, um pacote de 1 kg deve durar quase dois meses para uma família de quatro pessoas.

A médica destacou ainda que pressão baixa não é doença nem deve ser tratada com sal. E, para medir corretamente a pressão arterial, é preciso procurar um profissional qualificado e estar em repouso por pelo menos 30 minutos.
Para saber a quantidade de sal em um alimento, basta multiplicar o valor de sódio no rótulo de um alimento por 2,5. Exemplo: algo com 500 mg de sódio tem 1,25 g de sal.
Alimentos prontos – como congelados, enlatados e produtos em conserva – já são bastante condimentados por si sós, porque o sódio age como conservante, para prolongar a vida útil do conteúdo.

Se você passar da medida de sal, pode sofrer também de doenças cardiovasculares, problemas renais e até câncer.
Os doces e os refrigerantes também contêm sódio/sal. Além deles, as massas instantâneas, pães francês e de forma, bisnaguinhas, bolos prontos, batata frita e palha apresentam alta concentração.

Efeitos da hipertensão
A maioria dos hipertensos não sente nada. O problema não dá sinais nem sintomas de que já está instalado no organismo. Alguns indivíduos, porém, têm tontura, vista embaçada, palpitação e dor de cabeça, além de zumbido no ouvido e visão de pontos brilhantes.
O excesso de sal ajuda a reter líquidos e aumentar o volume e a pressão sanguíneos. O sangue bombeado com mais força agride o revestimento dos vasos (endotélio), provoca pequenas cicatrizes e contribui para o entupimento das artérias.
As consequências da hipertensão nos diversos órgãos estão relacionadas principalmente à lesão dos vasos e à sobrecarga para o funcionamento deles.
Como o coração é um músculo, ao fazer mais força ele aumenta de tamanho – da mesma forma que o bíceps de um halterofilista. Essa hipertrofia dificulta ainda mais a chegada de oxigênio e nutrientes.
Se um trombo se formar em um vaso cardíaco, pode ocorrer um infarto, que é a morte desse tecido. Caso a mesma lesão aconteça em um vaso que irriga o cérebro, pode haver um acidente vascular cerebral (AVC), também chamado de derrame.
Dicas para controlar a hipertensão
Perder peso é a forma mais efetiva de baixar a pressão sem usar remédios. E não é necessário emagrecer demais: em média, uma redução de 5 kg diminui a pressão em 5 mm Hg.
Fazer exercícios também ajuda no controle da hipertensão, melhora o nível de colesterol e o índice glicêmico. O objetivo deve incluir 30 minutos de atividade aeróbica pelo menos três vezes por semana.
Além disso, beber álcool em quantidade moderada traz benefícios cardiovasculares, mas o consumo de mais de dois drinks por dia já eleva a pressão.

Fonte:http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2011/11/para-evitar-pressao-alta-consuma-ate-uma-colher-de-cha-de-sal-por-dia.html

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Meu regime...



Gente... eu tô numa fase igual a figura acima... tá difícil...

E agora não poderei passar pela nutricionista até retornar de férias, pois está lotado e só terá agenda aberta no ano que vem... Imaginou a minha situação???

Estou começando a ficar preocupada...

Agora para ajudar um veia do meu olho estorou e o oftalmo disse que é de estresse... Precisarei fazer um monte de exames que o cardiologista pediu para investigar...

Preciso emagrecer, pois está ficando perigoso, mas estou numa fase de fome que só por Deus...

kkkkkkkkkkkkkkkkkk....

Qualquer semelhança é mera coincidência...kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk... (igualzinho minha família)

sábado, 19 de novembro de 2011

Vai banana?

Isso é interessante!!
Depois de ler isto, você nunca vai olhar para uma banana da mesma maneira novamente.

A banana contém três açúcares naturais - sacarose, frutose e glicose, combinados com fibra. A banana dá uma instantânea e substancial elevação da energia.

Pesquisas provam que apenas duas bananas fornecem energia suficiente para um treino de 90 minutos extenuantes. Não é à toa que a banana é a fruta número um dos maiores atletas do mundo.

Mas energia não é a única forma de uma banana pode nos ajudar a manter a forma. Pode também ajuda a curar ou prevenir um grande número de doenças e condições, tornando-se uma obrigação para adicionar à nossa dieta diária.

Depressão: De acordo com recente pesquisa realizada pela MIND, entre pessoas que sofrem de depressão, muitas se sentiram melhor após ter comido uma banana. Isto porque a banana contém triptofano, um tipo de proteína que o corpo converte em serotonina, reconhecida por relaxar, melhorar o seu humor e, geralmente, fazem você se sentir mais feliz.

TPM Esqueça as pílulas - comer uma banana. A vitamina B6 regula os níveis de glicose no sangue, que podem afetar seu humor.

Anemia: contendo muito ferro, bananas estimulam a produção de hemoglobina no sangue e ajudam nos casos de anemia.

Pressão Arterial: Este fruto tropical é muito rico em potássio, mas reduzido em sódio, tornando-a perfeita para combater a pressão alta. Tanto é assim, os EUA Food and Drug Administration acaba permitiu que a indústria de banana a oficialmente informar sua habilidade da fruta para reduzir o risco de pressão alta e infarto.

Cérebro: 200 estudantes de uma (Middlesex) Twickenham escola (Inglaterra) tiveram ajuda da exames este ano comendo bananas no café da manhã, lanche e almoço em uma tentativa de elevar sua capacidade mental. A pesquisa mostrou que o fruto elevado teor de potássio pode ajudar a aprendizagem, tornando os alunos mais alerta.

Constipação: com elevado na fibra, incluir bananas na dieta pode ajudar a normalizar as funções intestinais, ajudando a superar o problema sem recorrer a laxantes.

Ressaca: uma das formas mais rápidas de curar uma ressaca é fazer uma vitamina de banana, adoçado com mel .. A banana acalma o estômago e, com a ajuda do mel aumenta os níveis de açúcar no sangue, enquanto o leite suaviza e reidrata o sistema.
Azia: elas têm efeito antiácido natural no organismo, por isso, se você sofre de azia, experimente comer uma banana para aliviar.

Enjoo matinal: comer uma banana entre as refeições ajuda a manter os níveis de açúcar no sangue elevado e evita as náuseas.

Picadas de mosquito: antes de o creme de picada de inseto, experimenta esfregar a zona afetada com a parte interna da casca da banana. Muitas pessoas acham excelentes em reduzir o inchaço e a irritação.

Nervos: Bananas são ricas em vitaminas do complexo B que ajuda a acalmar o sistema nervoso.

Excesso de peso e no trabalho: Estudos do Instituto de Psicologia na Áustria mostram que a pressão no trabalho leva à excessiva ingestão de comidas, como chocolate e biscoitos. Olhando para 5000 pacientes em hospitais, pesquisadores concluíram que os mais obesos eram mais prováveis para a alta pressão empregos. O relatório concluiu que, para evitar a ansiedade por comida, precisa-se controlar os nossos níveis de açúcar no sangue por lanches alimentos ricos em carboidratos a cada duas horas para manter níveis estáveis.

Úlceras: A banana é usada na dieta diária contra desordens intestinais pela sua textura macia e suavidade. É a única fruta crua que pode ser comida sem desgaste em casos de úlcera crônica. Também neutraliza a acidez e reduz a irritação, protegendo as paredes do estômago.

Controle de temperatura: Muitas culturas veem a banana como fruta 'refrescante', que pode reduzir tanto a temperatura física como emocional de mulheres grávidas. Na Tailândia, por exemplo, as grávidas comem bananas para os bebês nascerem com temperatura baixa.

Seasonal Affective Disorder (SAD): a banana auxilia os que sofrem SAD, porque contêm o natural do humor, Enhancer triptofano.

Fumar e Uso do Tabaco: As bananas podem ajudar as pessoas que tentam deixar de fumar. A B6, B12, assim como o potássio e magnésio, ajudam o corpo a recuperar dos efeitos da retirada da nicotina.

Stress: O potássio é um mineral vital, que ajuda a normalizar os batimentos cardíacos, levando oxigênio ao cérebro e regula o equilíbrio de água do corpo. Quando estamos estressados, nossa taxa metabólica se eleva, reduzindo os níveis de potássio. Que pode ser reequilibrado com a ajuda da banana, rica em potássio.

Enfarto: de acordo com pesquisa publicado no New England Journal of Medicine, comer bananas como parte de uma dieta regularmente pode reduzir o risco de morte por enfarto em até 40%!

Verrugas: os interessados em alternativas naturais juram que se quiser eliminar verrugas, pegar um pedaço de casca de banana e colocá-lo sobre a verruga, com o lado amarelo para fora. Segure cuidadosamente a pele no local com uma fita de gesso ou cirúrgico!

Assim, a banana é um remédio natural para muitos males. Quando você compará-lo com uma maçã, tem quatro vezes mais proteína, duas vezes mais carboidratos, três vezes mais fósforo, cinco vezes mais vitamina A e ferro e o dobro das outras vitaminas e minerais. Também é rica em potássio e é um dos alimentos mais valiosos Então talvez seja hora de mudar essa frase bem conhecida, para que nós dizemos, "Uma banana por dia mantém o médico longe!"

(recebi por email)

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Segredos das pessoas que nunca adoecem



Cinco povos ao redor do mundo se destacam pela longevidade: eles vivem, em média, dez anos a mais do que o restante da humanidade. Conheça agora seus principais hábitos de vida

As respostas estão no livro Os segredos das pessoas que nunca ficam doentes, recém-lançado nos EUA. Em suas andanças, Stone percebeu que cinco povos eram os mais saudáveis: a Barbagia, na Itália; Okinawa, no Japão; a comunidade dos Adventistas do Sétimo Dia, na Califórnia; a Península de Nicoya, na Costa Rica; e a ilha grega de Ikaria.

Outro americano, Dan Buettner, escreveu sobre o tema em um livro que virou best-seller: Blue Zones: lições de pessoas que viveram muito para quem quer viver mais. Ambos os autores nos ajudaram a traduzir as experiências dessas pessoas. Confira 50 dicas eficazes, comentadas por 21 especialistas brasileiros.

1. Beber água mesmo sem ter sede
A água está para o corpo humano assim como o combustível para o carro. Isso porque, sem manter os nossos níveis hídricos sempre abastecidos, todo o organismo sofre. O líquido ajuda a aumentar a saciedade, evitando compulsões que podem levar ao sobrepeso e ao aparecimento de diversas doenças, ao mesmo tempo que mantém a saúde do sistema renal. "É o baixo consumo de água que resulta em urina concentrada e na maior precipitação de cristais, justamente o que leva à formação das pedras nos rins", adverte a nutricionista amanda epifânio Pereira, do Centro Integrado de Terapia Nutricional. sucos naturais, chás e água de coco também podem ser usados.

2. Ir ao dentista regularmente
A boca é como um espelho a refletir a saúde do organismo. Daí a importância de permitir que um profissional a examine a cada seis meses. "Muitas doenças sistêmicas, como diabetes, alterações hormonais e lesões cancerígenas podem ser detectadas numa consulta de rotina", diz o periodontista Cesário Antonio Duarte, professor da Universidade de São Paulo (USP). Além disso, o tratamento das cáries deixa o organismo protegido contra inúmeras doenças. "Cáries não tratadas podem se tornar a porta de entrada para micro-organismos, que poderão atingir órgãos nobres como coração, rins e pulmões", alerta o especialista.

3. Ingerir mais nozes
Bateu aquela fome de fim de tarde? Experimente comer duas unidades de nozes todos os dias. Esse é um dos segredos dos Adventistas da Califórnia. Cerca de 25% deles comem nozes cinco vezes por semana. E diminuíram pela metade o risco de problemas cardíacos.

4. Temperar com alho
"Ele melhora a saúde do coração, diminui os níveis de colesterol, a pressão arterial e potencializa as nossas defesas", afirma a nutricionista funcional Gabriela Soares Maia.

5. Comprar alimentos regionais
Se puder privilegiar alimentos produzidos na sua região, sua saúde sairá ganhando. Isso porque os produtos da safra, que não recebem uma grande quantidade de conservantes, em geral, são muito mais ricos em nutrientes. Agora, se você puder ir pessoalmente à feira ou à quitanda do bairro, tanto melhor.

6. Comer mais frutas
Aumentar o consumo de produtos de origem vegetal é uma das medidas mais significativas na prevenção de doenças crônicas. A prática foi observada em pelo menos quatro das cinco Blue Zones e é fácil entender o porquê. "Frutas, legumes e verduras possuem uma quantidade de vitaminas antioxidantes, boas gorduras e fibras que supera em muito a dos alimentos industrializados", diz Isis Tande da Silva, do Ganep Nutrição Humana.

7. Aprender a planejar
A tensão constante é extremamente prejudicial à saúde. "Ela afeta o funcionamento do sistema nervoso, hormonal e imunológico", alerta o psicólogo Armando Ribeiro das Neves Neto, professor da USP. Uma boa maneira de controlar essas reações é não deixar todos os compromissos para a última hora. "Acostume-se a anotar suas pendências em uma lista", diz o especialista em produtividade pessoal Christian Barbosa.

8. Fracionar a dieta
Comer mais vezes ao dia e optar por porções menores é um jeito inteligente de manter o peso estável. "Os jejuns prolongados desencadeiam uma fome tão intensa que é fácil se exceder nas refeições", explica a endocrinologista Ellen Simone Paiva, do Centro Integrado de Terapia Nutricional. Quando dividimos a nossa alimentação diária em cinco ou seis refeições, também estamos dando uma forcinha ao processo de digestão e ao intestino, evitando sobrecargas.

9. Aproveitar o contato com a natureza
Sinta o cheiro da grama molhada, escute os pássaros, sente-se na sombra de uma árvore... Pratique essa terapia sempre que possível, já que ela é altamente relaxante. "A vegetação transfere umidade ao ar e, portanto, o ambiente fica ionizado negativamente. Isso provoca uma reação química no organismo, gerando uma sensação de muita calma", explica a arquiteta Pérola Felipetti Brocanelli, professora da Universidade Presbiteriana Mackenzie. A psicóloga Solange Martins Ferreira, do Hospital Santa Catarina, garante que as atividades ao ar livre também contribuem para recuperação de pacientes: "Quando observam a natureza, eles tiram a atenção da doença".

10. Levantar peso
A ideia não é apenas ficar forte. "Um dos principais benefícios é o aumento da densidade óssea, auxiliando na prevenção da osteoporose e na reversão da sarcopenia (diminuição no número de sarcômero, a unidade do músculo esquelético). Isso evita a incapacidade funcional, muito comum em idades avançadas", diz Ricardo Zanuto, fisiologista e professor de Educação Física das Faculdades Integradas de Santo André.

11. Ser um voluntário
Se você ainda não conseguiu um tempo para isso, é bem provável que não tenha encontrado a causa certa. "Quando se apaixonar de verdade por um trabalho social, acabará colocando-o na lista de prioridades", garante o especialista em produtividade pessoal Christian Barbosa. "Dedicar uma noite por semana já é um bom começo", diz Dan Buettner.

12. Celebrar a vida
Não espere algo de extraordinário acontecer, mas acostume-se a comemorar as pequenas vitórias. Essa é a receita de longevidade dos italianos que vivem na Sardenha, uma das Blue Zones. Eles chamam a atenção pela disposição que têm para festejar tudo e todos.

13. Cultivar a sua fé
"A religião empresta sentido às buscas e conquistas do ser humano, dá uma nova dimensão às vitórias e também às perdas. Além disso, orienta e ajuda as pessoas a tomar decisões difíceis", explica Jorge Claudio Ribeiro, professor de Teologia da PUC-SP.

14. Trocar o café pelo chá-verde
Ainda que você precise do café para acordar, faça a substituição. Afinal, o chá-verde também contém cafeína, que funciona como estimulante. O bom é que ele oferece outros extras. "Diversos estudos mostram que a bebida atua na prevenção e no tratamento de doenças como Alzheimer e Parkinson", afirma a nutricionista Andréia Naves.

15. Pegar leve com as carnes vermelhas
Embora sejam importantes fontes de ferro, são alimentos de difícil digestão e, portanto, retardam o funcionamento intestinal. Então, se você é do tipo que não pode viver sem um bifinho, contente-se com um filé médio por dia.
16. Praticar mais atividade aeróbica
Pode ser uma caminhada ou uma corrida. Esse tipo de exercício tem impacto direto sobre os fatores de risco associados à hipertensão, ao diabetes e à obesidade. "A prática regular melhora a força e a flexibilidade, fortalece ossos e articulações, facilita a perda de peso e diminui o colesterol", afirma Zanuto.

17. Encontrar a sua tribo
Se você gosta de esportes, certamente irá sentir-se bem com amigos que também gostam. Portanto, faça um esforço para encontrar pessoas com quem possa compartilhar e trocar ideias. "Uma das atitudes mais importantes para garantir a longevidade é cercar-se de pessoas que vão lhe dar suporte e que conectam ou reconectam você com o sentido maior que você dá à sua vida", diz Dan Buettner.

18. Ser agradável
Facilita a convivência social e cria vínculos com pessoas que poderão apoiá-lo quando necessário. Mas como tornar-se uma pessoa agradável? O autor Dan Buettner é quem responde: "Para isso, é preciso ser interessado e não apenas interessante. Pessoas simpáticas perguntam a você como está em vez de falarem apenas de si mesmas".

19. Definir seus objetivos
É o que os moradores de Okinawa chamam de ikigai e os habitantes de Nicoya nomeiam de plano de vida. Seja como for, o fato é que eles têm muito bem definidas as suas razões de viver e investem nesses propósitos.

20. Conhecer melhor a ioga
Ela une princípios da meditação, exercícios para o equilíbrio, alongamento e o treinamento de força, com foco na respiração. Tudo isso graças à execução de movimentos sequenciados. "A ioga é ótima para a longevidade, porque fortalece os músculos e ligamentos. Então, os movimentos tornam-se mais fluidos e seguros. A prática tem ainda um efeito importante na redução do estresse", diz Dan Buettner.

21. Guardar o despertador na gaveta
Dormir bem significa dar ao corpo a chance de se recompor totalmente. "Se você se deita, dorme logo e acorda bem disposto, pode dizer que tem um sono de qualidade", ensina o neurofisiologista Flavio Alóe, do Centro de Estudos do Sono do Hospital das Clínicas (SP). Quem não tem, corre um risco muito maior de adoecer. "Aqueles que dormem pouco podem ter um aumento do colesterol e dos triglicérides", complementa Alóe.

22. Apostar nos integrais
Não basta comer pão integral. Com um pouco de criatividade, é possível incluir a farinha e aveia integrais na preparação de inúmeros pratos. Quer um bom motivo para fazer isso? Pois saiba que os alimentos não processados oferecem um aporte muito maior de nutrientes. "No processo de refinamento, o germe dos grãos são retirados, restando praticamente o amido", explica a nutricionista Patrícia Morais de Oliveira, do Ganep.

23. Pensar na sua vocação
Fazer o que gosta é uma forma eficiente de afastar o estresse. Além disso, é interessante que o seu tipo de trabalho seja capaz de fazê-lo sentir-se realizado. Por último, saiba que aquele que se empenha em uma carreira para a qual há um sentido profundo, além da manutenção da renda, se sente mais motivado a investir na atualização dos conhecimentos. E estudar, como já vimos, é um santo remédio para o cérebro.

24. Doar seus pratos grandes
A população de Okinawa descobriu um jeito de comer 30% menos: eles utilizam pratos de apenas 23 cm de diâmetro. "Há experiências promissoras sendo realizadas por meio da restrição calórica orientada, que já se mostrou capaz de aumentar o tempo de vida de animais de laboratório em 60%", afirma Ellen Paiva.

25. Ter atitudes positivas
"As emoções fazem parte daquilo que somos e, portanto, são capazes de provocar reações físicas muito claras. As positivas curam e determinam uma maior e melhor qualidade de vida", diz Armando Ribeiro das Neves Neto.

26. Emagrecer a despensa
Na hora da compra, elimine os alimentos que possuem qualquer quantidade de gordura trans e evite os que contêm gorduras saturadas. E por um motivo simples: as chamadas gorduras ruins têm relação com o aumento dos níveis de colesterol LDL e triglicérides, fazendo crescer o risco de infarto e de acidente vascular cerebral. "Além dos industrializados, convém tomar cuidado com os alimentos de origem animal, como carnes gordas", alerta a nutricionista Andréia Naves, da VP Consultoria Nutricional.

27. Saber como usar a soja
Em Okinawa, no Japão, o consumo de produtos da soja é o maior de todo o mundo. O resultado? Dos cerca de 1 milhão de habitantes locais, mais de 900 pessoas já passaram dos 100 anos. "O consumo frequente reduz os riscos de doenças cardiovasculares", afirma a nutricionista Renata C. C. Gonçalves, do Ganep.

28. Estudar sempre
Manter as atividades intelectuais é uma maneira de garantir anos extras de vida e muito mais saúde, principalmente nas idades avançadas. "Exercitar o cérebro vai deixá-lo mais protegido contra doenças. Na prática, isso significa um risco menor de limitações físicas, mesmo se algo der errado porque, nesse caso, a recuperação será muito melhor", explica o neurologista André Gustavo Lima, do Hospital Barra D´or.

29. Ter um dia só para você
Os Adventistas do Sétimo Dia que vivem em Loma Linda, na Califórnia, recolhem-se em suas casas aos sábados e aproveitam a ocasião para meditar e orar. E esse parece ser mais um bom hábito que poderíamos nos esforçar em copiar. Afinal, essas pessoas vivem de cinco a dez anos mais que o resto da população americana. "Se for impossível fazer isso, tente conseguir pelo menos 15 a 20 minutos por dia para não fazer nada, ou melhor, para pensar apenas. É como marcar uma reunião consigo mesmo", diz Christian Barbosa

30. Apagar o cigarro
Quem tem menos 40 anos e fuma até 20 cigarros por dia tem quatro vezes mais chances de infartar. Agora, se o consumo for maior, o risco sobe 20 vezes. A explicação é simples: as substâncias do cigarro levam à contração dos vasos sanguíneos, à aceleração dos batimentos cardíacos, além abaixar o HDL, que age como um protetor das artérias.

31. Ouvir a sua música
A musicoterapeuta Maristela Smith, das Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), tem uma receita interessante para quem quer tirar proveito da terapia da música. "Faça um CD com as músicas que marcaram positivamente a sua vida para criar a sua identidade sonora musical. Escute-o regularmente, principalmente quando estiver precisando melhorar o astral", ensina a especialista.

32. Respirar com consciência
Quando estiver precisando relaxar ou desacelerar seu ritmo, faça a respiração completa. "Inspire calmamente o ar pelo nariz, contando três segundos. Então, bloqueie a respiração por um tempo, retendo o ar, e expire pela boca em seis segundos. Assim, você estará atuando diretamente sobre o sistema nervoso autônomo", ensina o educador físico Estélio Dantas, professor da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.

33. Curtir os animais
Mesmo que não possa ter um em casa, descubra aqueles com os quais possui mais afinidades e dê a si mesmo a oportunidade de tocá-los. Para a veterinária Maria de Fátima Martins, professora de Zooterapia da USP, a convivência com os bichos é uma rica fonte de benefícios psicológicos, físicos e sociais. Ela coordena uma experiência de terapia assistida com animais em asilos. "O contato com os animais tem melhorado a vida dessas pessoas. Para alguns idosos, a experiência foi tão positiva que eles chegaram a diminuir o número de medicamentos que tomavam", conta.

34. Ser muito mais ativo
Comece descendo alguns pontos antes do ônibus. Fazer mais atividades a pé ou de bicicleta, cozinhar, cuidar do jardim, brincar com o seu cachorro, todas essas maneiras de se mexer são válidas. "Um dos segredos da longevidade é encontrar meios de se manter sempre em movimento. De preferência, concentre-se em atividades que também lhe dão prazer, e os benefícios serão maiores", sugere Dan Buettner.

35. Desacelerar o ritmo
"Se você não cria um tempo para estar bem, terá que ter tempo para se cuidar quando ficar doente", alerta Dan Buettner. O primeiro estágio do estresse é a fase de alerta. Ele nos permite realizar muitas tarefas em pouco tempo e aí nos sentimos bem. Porém, quando persistimos na tensão, o organismo entra em fadiga.

36. Comer mais iogurtes
"Eles reforçam a nossa imunidade", explica a nutricionista Gabriela Maia, da Clínica Patricia Davidson Haiat. O que as bactérias vivas contidas nesses potinhos também fazem é melhorar o nosso humor. Afinal, é o intestino que responde pela produção de 95% da serotonina de todo o corpo.

37. Investir no ômega-3
Peixes de água fria (salmão, arenque, sardinha, atum), sementes de linhaça moídas e óleos de peixe, de soja e de canola são ótimas fontes desse nutriente, que tem ação comprovada na redução dos níveis de colesterol e de triglicérides, além de ajudar no controle da pressão e de prevenir o risco de tromboses, que danificam os vasos sanguíneos. O composto ainda é coadjuvante em tratamentos neurológicos e de osteoporose.

38. Controlar o álcool
A curto e médio prazos, o álcool pode engordar, acelerar o processo de envelhecimento e ainda aumentar a pressão arterial. A longo prazo, causa dependência e ainda compromete o funcionamento de todos os sistemas do corpo, com danos mais sérios para o fígado.

39. Brincar com as crianças
É uma excelente estratégia para tirar o foco das preocupações, aproximar a família ou amigos e facilitar o contato intergeracional. E todos esses aspectos estão associados à longevidade. Porém, para funcionar, é preciso que se tenha um mínimo de afinidade com os pequenos.

40. Construir o próprio jardim
Mexer com plantas e flores pode ser um hobby interessante e saudável, desde que você realmente consiga tirar prazer da atividade. "Esse tipo de passatempo é muito válido para prevenir o estresse, tanto quanto fazer trabalhos manuais ou cozinhar. Só não pode virar rotina e obrigação. Se a pessoa tem que cozinhar ou cortar a grama todos os dias, por exemplo, isso passará a representar, na vida dela, mais uma fonte de tensão. E aí os benefícios não virão", explica Armando Ribeiro Neto.

41. Desfrutar do sol
Sentir na pele o calor dos raios solares não é somente uma receita para adquirir disposição e ânimo. Com cerca de 15 minutos de exposição, oferecemos ao corpo algo que só o sol pode dar: a energia necessária para a síntese de vitamina D. "O composto é importantíssimo na fixação de cálcio no organismo, prevenindo a osteoporose, além de fortalecer o sistema imunológico", afirma a endocrinologista Bárbara Carvalho Silva, da Universidade Federal de Minas Gerais.

42. Perdoar mais
"Para envelhecer bem, é preciso olhar para a nossa trajetória de vida aceitando os erros cometidos e desculpando-se por eles. Da mesma forma, é interessante perdoar aos outros, percebendo que não fomos apenas vítimas", diz a psicóloga Dorli Kamkhagi, colaboradora do Laboratório dos Estudos do Envelhecimento do Hospital das Clínicas (SP). "Perdoar é retirar objetos pesados de uma mochila que carregamos", compara.

43. Dar uma chance à laranja
Uma única unidade é capaz de prover a necessidade que o nosso corpo tem de vitamina C a cada dia. "Protege contra o câncer, afasta aquela gripe chata e até ajuda a pele a se recuperar mais rapidamente dos estragos promovidos pelo sol", diz a nutricionista Gabriela Soares Maia.

44. Alongar o corpo todo
Os problemas mais frequentes do aparelho locomotor, e que estão relacionados ao envelhecimento, são a perda da mobilidade e a osteoporose. "O alongamento, enquanto um treinamento da flexibilidade, é um dos principais fatores de manutenção da autonomia funcional em idosos", garante o educador físico Estélio Dantas.

45. Cochilar após o almoço
Na Península de Nicoya, na Costa Rica, a sesta é um costume institucionalizado. E, em muitas outras partes do mundo, as pausas para um cochilo também são comuns. "Para quem dorme pouco, essa pode ser uma estratégia compensatória", diz o neurofisiologista Flavio Alóe. É como renovar as energias, antes de recomeçar a jornada.

46. Priorizar as pessoas amadas
Este é outro ponto comum dos que vivem nas chamadas Blue Zones. "Eles contam com famílias fortes e se apoiam mutuamente", conta Dan Buettner. Relações verdadeiras nos protegem de situações adversas.

47. Esquecer do sal
A redução de seu consumo é imprescindível para prevenir e controlar a hipertensão que, por sua vez, oferecem as condições favoráveis para que inúmeros problemas de saúde progridam rapidamente, tais como a insuficiência renal e as complicações cardíacas. "O sal em excesso faz o corpo reter mais líquido, o que, além de causar inchaço, também aumenta o volume sanguíneo, elevando a pressão nas artérias", explica a nutricionista Andréia Naves. Para passar bem longe desse drama, vale cortar o sal de cozinha que adicionamos aos pratos durante a preparação, para colocá-lo apenas no momento de consumir, e sempre usando o bom senso. Outra dica é reduzir o consumo de condimentos, pratos prontos, embutidos ou enlatados.

48. Praticar sexo com prazer
A atividade sexual ajuda a aliviar as tensões, já que, durante a relação, ocorre a liberação de endorfinas, substâncias que melhoram o humor. O sexo ainda faz bem para a circulação. Por fim, vale como um excelente exercício e ajuda a reforçar vínculos de afeto.

49. Criar um tempo para a família
A união e o apoio mútuo entre cônjuges, pais e filhos precisam certo investimento de tempo e atenção. Mas como encontrar períodos livres para dedicar a essas pessoas todo o carinho que merecem? "Vale programar um jogo que possam fazer juntos, que permita confraternizar e trocar ideias", diz Christian Barbosa.

50. Usar as dicas diariamente
Caminhar só aos finais de semana ou encontrar mais tempo para os amigos apenas nos períodos em que a rotina de trabalho sossega um pouco podem ser um bom começo, na tentativa de transformar a sua vida para melhor. É preciso, porém, garantir que mudanças pontuais se transformem em hábitos, para colher resultados significativos no que diz respeito à saúde e à longevidade. "As pessoas que eu conheci enquanto preparava o livro possuem diferentes segredos, mas uma coisa que todas elas têm em comum é a disciplina; elas usam seus segredos diariamente, ou seja, fazem da boa saúde uma prioridade, um hábito mesmo", finaliza Gene Stone.

Produção: Janaina Rezende / Fotos Fabio Mangabeira e Shutterstock
fonte: http://revistavivasaude.uol.com.br/saude-nutricao/93/artigo205423-1.asp

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Sal, sedentarismo, genética, má circulação e hormônios dão celulite

Consultora Márcia Purceli e esteticista Margareth Feres foram convidadas.
Saiba como amenizar as ondulações da pele e ficar mais bonita no verão.

Celulite incomoda sempre, mas fica mais evidente agora no verão, com as roupas mais curtas. A maioria dos homens diz que não liga, mas as mulheres se preocupam e muito.
Esses furinhos na pele, que surgem a partir da puberdade, são um acúmulo de líquido nas células de gordura, localizadas na terceira e mais profunda camada cutânea.
Segundo a dermatologista Márcia Purceli e a esteticista Margareth Feres, não é possível eliminar 100% a celulite, mas exercícios, alimentação saudável, água, drenagem linfática e cremes ajudam bastante a amenizá-la.

O uso do creme deve ser contínuo, pelo menos duas vezes por dia (de preferência, de manhã e à noite). Além disso, a pele precisa ser esfoliada uma vez por semana.
Nas pernas, a recomendação é passar o creme de baixo para cima, com movimentos suaves e "de ordenha". Essa massagem ajuda a ativar o sistema linfático, da mesma forma que a drenagem, e elimina o excesso de líquido pelo xixi.
Os principais princípios ativos dos cremes anticelulite são: cafeína, guaraná, pimenta, gengibre, castanha-da-índia, arnica, centella-asiática e ginkgo biloba.

Dicas para evitar
- Evite alimentos industrializados, condimentados ou enlatados, que têm muito sal
- Não engorde
- Beba água
- Não tome refrigerante
- Pratique exercícios
- Evite ficar sentado por muitas horas e usar calças apertadas
- Faça drenagem linfática
- Use cremes anticelulite

A drenagem linfática pode doer quando é feita na celulite, porque pressiona as terminações nervosas. O objetivo principal é direcionar e aumentar o fluxo linfático. Sua aplicação está na desintoxicação e diminuição de edemas. É indicada para pré e pós-cirurgia, retenção de líquido e eliminação de toxinas.

Antes de iniciar a massagem, é preciso esvaziar os linfonodos localizados no tornozelo, atrás do joelho, virilha e axilas.

A drenagem sempre começa pelos pés, e a pele não deve ficar roxa. Os movimentos têm que ser leves, e a massagista não deve dar "tapinhas".

Quando a drenagem é correta, a pessoa sente vontade de fazer xixi logo após a massagem, que deve ser feita sempre no corpo inteiro e durar pelo menos 40 minutos.

O ideal fazer duas vezes por semana para tratamento de celulite. Não é preciso usar muito óleo, pois pode obstruir os poros, além de escorregar e tirar o contato com a pele. O melhor é aplicar creme.

Pessoas com infecção não podem fazer drenagem linfática, pois o problema pode se espalhar. Grávidas só podem fazer a massagem nas pernas.

Fonte: http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2011/11/sal-sedentarismo-genetica-ma-circulacao-e-hormonios-dao-celulite.html

Pesagem 11 11 11



Eu não acredito!!!

Passei na nutricionista na sexta-feira e continuo com o mesmo peso...

Sono, sol e água são importantes para perder, ganhar ou manter o peso

Veja dicas de alimentação do consultor Alfredo Halpern e de nutricionista.
'Escapadinhas' diárias podem resultar em 2 a 4 quilos a mais por ano.


Não importa se sua meta é perder, ganhar ou manter o peso: sono, sol e água são fundamentais. Isso sem contar uma alimentação equilibrada, rica em nutrientes, e exercícios físicos regulares.

A palavra “dieta” vem do grego e significa "qualidade de vida". Ao contrário do sentido que damos a ela hoje em dia, de algo restritivo e passageiro, dieta é muito mais do que mudar o cardápio ou se privar de determinados alimentos.
Por isso, não pense em fazer regime ou dieta – no conceito errado desse termo –, mas reeducação ou controle alimentar, como prefere o endocrinologista Alfredo Halpern. Ele e a nutricionista Ana Maria Lottenberg deram dicas para quem quer emagrecer (80% das pessoas, segundo a nossa enquete), engordar uns quilinhos (9%) ou se estabilizar na balança (11%).

O estômago é um órgão altamente flexível, que pode ficar mais encolhido e enrugado no caso dos magros, distendido nos mais gordos ou com uma aparência normal em quem não está abaixo nem acima do peso.

"Escapadinha” diária custa caro
Se você comer um coxinha, três bolachas recheadas, três minipães de queijo ou uma barra de chocolate a mais por dia, significa de 2 a 4 quilos a mais por ano. Em dez anos, você vai ter 15 kg a mais, só por conta desse deslize diário.
A regra é: não engordamos por comer demais em um dia, mas por comer um pouco a mais todos os dias.

Alexandre tem uma receita prática para matar a fome. Ele pega uma bolacha de água e sal, coloca requeijão light e polvilha em cima um pouquinho de orégano. Põe a bolacha no forninho e deixa esquentar um pouco. Logo fica pronto e, segundo ele, uma delícia.

Já Alexandra sugere uma receita de abobrinha que o nutrólogo Eric Slywitch ensinou. Pegue a abobrinha italiana, corte de comprido bem fininha, coloque umas gotinhas de azeite, orégano e umas pitadas de sal marinho, e toste na sanduicheira. Fica bem crocante!

Alimentação para perder peso – 1.200 calorias
Café da manhã: um copo de café com leite desnatado, uma fatia de pão com requeijão light e meia dúzia de uvas verdes
Lanche da manhã: uma maçã
Almoço: um prato com salada (temperada com uma colher de sobremesa de azeite) de alface, tomate, cebola, cenoura, repolho cortado e abóbora refogada, duas colheres de arroz, duas colheres de feijão, uma fatia de carne assada com pouco molho e laranja de sobremesa
Lanche da tarde: uma banana nanica amassada com uma colher de aveia e uma pitada de canela
Jantar: duas colheres de arroz, duas colheres de feijão, um filé de frango grelhado, uma escarola refogada e gelatina light de sobremesa

Alimentação para ganhar peso – 2.000 calorias
Café da manhã: sanduíche de pão integral com queijo branco e peito de peru, leite integral com cereais e uma fatia de mamão
Lanche da manhã: uma banana nanica
Almoço: prato com salada (temperada com 1 colher de sobremesa de azeite) de alface, cenoura, tomate e brócolis refogado, arroz, feijão, filé de frango e uma fatia pequena de pudim de leite condensado de sobremesa
Lanche da tarde: um copo de iogurte integral batido com morango e uma fatia de bolo de chocolate
Jantar: um prato de macarrão à bolonhesa com queijo ralado, um bife, salada de rúcula, tomate cereja, milho verde e palmito, e uma laranja de sobremesa
Lanche da noite: um copo de leite integral com achocolatado

Alimentação para manter o peso – 1.700 calorias

Café da manhã: duas fatias de pão integral com geleia, um copo de leite desnatado e uma fatia de mamão
Lanche da manhã: uma bisnaguinha com requeijão
Almoço: uma salada com alface, agrião, tomate e cenoura, arroz com lentilha, frango assado e couve-flor com molho de tomate e uma pera de sobremesa
Lanche da tarde: uma fatia de pão de forma com requeijão normal e queijo branco e um copo de suco de laranja
Jantar: um filé de pescada ao forno com pimentão verde, batata cozida com queijo ralado, um pouco de ervilha, salada de alface com rodelas de cebola e meio ovo cozido
Lanche da noite: uma fatia de bolo de fubá

Fonte: http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2011/11/sono-sol-e-agua-sao-importantes-para-perder-ganhar-ou-manter-peso.html

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Óleo de Coco



Três colheradas por dia queimam gordura abdominal e trazem outros benefícios
POR LUISA BARWINSKI

Manter uma alimentação saudável e uma boa rotina de exercícios físicos é o melhor caminho para emagrecer bem, sem nenhum dano ao seu organismo. Isso significa que ficar sem comer não é a saída para perder peso e começar a definir seus músculos. Ainda assim, existem meios de “dar uma forcinha” na sua dieta e eliminar gordura mais rápido sem trazer prejuízos.

O óleo de coco é um importante aliado nessas horas. Segundo uma pesquisa realizada pela Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, ele é altamente indicado para quem quer e precisa emagrecer. Rico em ácido láurico, ele também é usado para fortalecer o sistema imunológico e estabilizar o funcionamento do seu intestino.

A procura pelo óleo de coco aumentou bastante nas lojas de produtos naturais e suplementos alimentares justamente pela sua função emagrecedora. Além de ser um bom reforço alimentar, ele tem propriedades termogênicas, que aceleram o metabolismo e ajudam a queimar gorduras.

Como se trata de um alimento bastante versátil, o óleo de coco pode ser usado em uma infinidade de pratos e bebidas. Uma boa ideia pode ser misturá-lo em sucos, saladas e até mesmo como óleo de cozinha para tornar a sua refeição mais saudável. Ainda assim, é preciso tomar cuidado já que cada colher de sopa costuma ter aproximadamente 120 calorias.

Alguns lembretes

Ter o controle das calorias ingeridas no óleo de coco funciona um bom alerta para que você escolha muito bem o que colocar no seu prato. Equilibrar bem os carboidratos, proteínas e gorduras que serão ingeridas é a melhor opção para emagrecer bem. Portanto, nunca se prive de algum desses grupos alimentícios, apenas meça as porções.

Apesar de ser uma excelente ajuda para perder algumas gordurinhas, o óleo de coco não é milagroso. Por isso precisa ser ingerido com bastante cuidado e nunca exceder as três colheradas diárias, do contrário os efeitos laxativos podem ser desagradáveis.

Como se trata de uma novidade bastante interessante no mercado, cada pote com 500 mililitros chega a custar até R$ 45, dependendo da cidade em que você mora. Portanto, pesquise bem!

Fonte:http://www.todaela.com.br/nutricao/oleo-de-coco-ajuda-a-emagrecer

Conselho...

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Falta de alimentos



Veja que interessante... A partir de certa idade, temos quase todos esses sintomas, provocados pela falta dos alimentos aqui mencionados:

1. DIFICULDADE DE PERDER PESO
O QUE ESTÁ FALTANDO: ácidos graxos essenciais e vitamina.
ONDE OBTER: semente de linhaça, cenoura e salmão - além de suplementos específicos.

2. RETENÇÃO DE LÍQUIDOS
O QUE ESTÁ FALTANDO: na verdade um desequilíbrio entre o potássio, fósforo e sódio.
ONDE OBTER: água de coco, azeitona, pêssego, ameixa, figo, amêndoa, nozes, acelga, coentro , semente de linhaça e os suplementos.

3. COMPULSÃO A DOCES
O QUE ESTÁ FALTANDO: cromo.
ONDE OBTER: cereais integrais, nozes, centeio, banana, espinafre, cenoura + suplementos...

4. CÂIMBRA, DOR DE CABEÇA
O QUE ESTÁ FALTANDO: potássio e magnésio
ONDE OBTER: banana, cevada, milho, manga, pêssego, acerola, laranja e água.

5. DESCONFORTO INTESTINAL, GASES, INCHAÇO ABDOMINAL
O QUE ESTÁ FALTANDO: lactobacilos vivos
ONDE OBTER: coalhada, iogurte, missô, Yakult e similares.

6. MEMÓRIA RUIM
O QUE ESTÁ FALTANDO: acetil colina, inositol.
ONDE OBTER: lecitina de soja, gema de ovo + suplementos.

7. HIPOTIREOIDISMO (PROVOCA GANHO DE PESO SEM CAUSA APARENTE)
O QUE ESTÁ FALTANDO: iodo.
ONDE OBTER: algas marinhas, cenoura, óleo, pêra, abacaxi, peixes de água salgada e sal marinho.

8.. CABELOS QUEBRADIÇOS E UNHAS FRACAS
O QUE ESTÁ FALTANDO: colágeno.
ONDE OBTER: peixes, ovos, carnes magras, gelatina + suplementos.

9. FRAQUEZA, INDISPOSIÇÃO, MAL ESTAR
O QUE ESTÁ FALTANDO: vitaminas A, C, e E e ferro.
ONDE OBTER: verduras, frutas, carnes magras e suplementos.

10. COLESTEROL E TRIGLICERÍDEOS ALTOS
O QUE ESTÁ FALTANDO: Ômega 3 e 6.
ONDE OBTER: sardinha, salmão, abacate, azeite

11. DESÂNIMO, APATIA, TRISTEZA, RAIVA, INSATISFAÇÃO, DEPRESSÃO, VONTADE DE MORRER
O QUE ESTÁ FALTANDO: Dinheiro, meu filho, dinheiro!!!
ONDE OBTER: Quando eu descobrir, informarei. Mas se você descobrir primeiro, não se esqueça de mim, ok ?

(recebi por email)

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Dica: Melancia


Dicas da semana: O consumo de melancia reduz o nível de colesterol no sangue e fortalece o coração
RIO - Pesquisadores do Reino Unido descobriram que a melancia é um poderoso aliado do coração. Ao estudar o suco da fruta e sua adição a dietas de baixa caloria, os médicos perceberam que o consumo regular de melancia é bom para o controle do peso e, portanto, reduzir o índice de gordura corporal e de colesterol no sangue, fortalecendo o coração. O médico-chefe da equipe de pesquisadores, Sibu Saha, adverte, porém, que os resultados são válidos apenas quando o consumo de melancia faz parte de uma dieta rica em frutas e vegetais frescos.
Em laboratório, cobaias alimentadas com uma dieta de alto teor de gordura, à qual era acrescido o consumo de uma bebida feita à base de melancia, mostram que a bebida reduzia o teor total de gordura do organismo, se os índices fossem comparados aos obtidos pelo grupo que consumiu a mesma dieta gordurosa, mas bebeu apenas água. Isto levou os pesquisadores a investigar os mecanismos pelos quais a melancia conseguia reduzir a quantidade de gordura do corpo e a formação de placas nas artérias. As artérias daqueles que consumiram melancia também exibiam lesões de aterosclerose - aquelas que se colam à parede das artérias, fazendo com que ela fique espessa por causa de materiais graxos, tais como o colesterol.
A pesquisa britânica confirmou o resultado de um estudo de 2010, feito na Florida State University. Os americanos mostraram que a melancia tem substâncias que reduzem o nível de gordura no sangue. Quando consumida por pacientes pré-hipertensos, produziu melhoria significativa nos marcadores de pressão.
- Este estudo da Florida serviu de alerta sobre os poder da fruta e por isto decidimos estudar as substâncias presentes na melancia - disse Saha.
O médico britânico disse ainda que melões também são benéficos para baixar a pressão arterial.
A melancia tem sido alvo de estudo porque é cheia de um aminoácido chamado citrulina. E o melão verde também contém este aminoácido, ainda que em quantidades menores. O médico garante que os resultados do estudo são encorajadores, a ponto de expandir a base de dados para uma análise mais detalhada dos vários tipos de melões.
- A melancia foi a fruta que obteve melhores resultados para a massa magra do corpo nesta pesquisa, mas ainda vamos repetir as experiências com vários tipos de melões. Entre eles, há um tipo muito promissor, o "melão amargo", fruta que cresce na Ásia, América do Sul, África Oriental e do Caribe.
Para o pesquisador, é o tipo que mais favorece a limpeza de gordura do organismo.

Fonte: www.lojinhadaeva.com.br

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Adotarei esse segredo para minha vida!!



Conta a lenda que um ocidental em visita à China ficou surpreso de ver a quantidade de velhos saudáveis e, curioso a respeito da milenar medicina chinesa, indagou de um experiente médico qual o segredo para se viver mais e melhor.

Ouviu do mesmo a sábia resposta:

- É muito simples. Basta: Comer a metade. Andar o dobro. E rir o triplo!!!!

(retirei do facebook - morango com chocolate)

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Conheça todos os benefícios das fibras

Bastante conhecidas por aqueles que sofrem com a constipação intestinal, as fibras devem fazer parte de qualquer cardápio que preze o equilíbrio alimentar. As fibras são uma parte dos carboidratos que não é digerida e absorvida pelo organismo , define a responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, Roberta Stella. Isso explica sua ação mais famosa: o regulamento do intestino. Por aumentarem o volume das fezes, aceleram sua eliminação.

E está muito enganado quem pensa que as vantagens das fibras ficam por aí. Suas fontes alimentares e seus benefícios variam de acordo com a classificação. Elas se dividem nos grupos solúveis e insolúveis.
As fibras solúveis, como o nome já sugere, absorvem água, transformando-se em uma espécie de gel capaz de eliminar as gorduras das artérias e evitar que elas sejam absorvidas pelo intestino, protegendo-o contra o câncer.

Outras funcionalidades desse tipo de fibra são o retardo na absorção dos carboidratos (o que dá uma forcinha extra para a sua dieta, ajudando a manter uma sensação de saciedade mais prolongada) e adiminuição das taxas de LDL (o colesterol maléfico à saúde). Farelo de aveia, cevada, leguminosas, frutas, legumes e verduras são boas opções para encontrar as fibras solúveis.

Enquanto isso, por não absorverem água, as fibras insolúveis entram em ação para regular o funcionamento do intestino. Ao incluir verduras, legumes, frutas e trigo, arroz e pães nas versões integrais, no cardápio, você garante que tal benefício faça parte do seu dia-a-dia.
Para a recomendação diária do nutriente na alimentação não existe distinção. Roberta afirma que 20 a 30 gramas de qualquer um dos tipos de fibras já garante o sucesso de suas ações.

Só não se esqueça de tomar bastante água. Sem ela, em vez de soltar o intestino, você vai entupir geral principalmente se o seu maior consumo for de fibras solúveis, que precisam absorver o líquido para inchar e serem eliminadas mais facilmente, mandando todas as toxinas do seu organismo cano abaixo. Portanto, aposte na parceria fibras e água para conquistar pele e barriga bem lisinhas, como você sempre sonhou.

(recebi por email da www.lojinhadaeva.com.br - Essa loja de orgânicos é ótima!! E entrega em casa!!)

Cabeça de Magro

Você pensou uma, duas, 3 vezes, mas não resistiu: usou a tal substância. Ela logo desencadeou em sua cabeça um processo viciante: ao tocar sua língua, fez liberar em seu cérebro opioides — químicos responsáveis por uma sensação de recompensa e prazer, também acionados por drogas como heroína e morfina. Inconscientemente, você move sua língua e mandíbula. Se fosse uma criança, abriria um sorriso. A resposta imediata do seu corpo: quero mais!

Esse barato não foi provocado por uma nova droga da moda. É uma velha conhecida que, consumida com moderação, é essencial à nossa sobrevivência: comida. Mais especificamente aquela com grandes quantidades de gordura, sal e açúcar, ingredientes que, a ciência revela, nos fazem pedir cada vez mais, mais e mais. “São as chamadas comidas palatáveis, não só porque são saborosas e dão prazer, mas porque estimulam nosso apetite e nos fazem comer sem parar”, diz o autor do livro The End of Overeating (O Fim da Comilança, sem edição no Brasil) David Kessler, ex-integrante do FDA, órgão que regulamenta alimentos e remédios nos Estados Unidos. Esses ingredientes mexem em mecanismos cerebrais que costumam ser atingidos também por drogas pesadas, como a heroína e, a mais recente descoberta, maconha. Basta sentirmos um cheirinho de batata frita ou dar a primeira mordida em um bolo de chocolate para disparar o ciclo vicioso. “Comer alimentos ricos em açúcar, gordura e sal só nos faz comer mais alimentos ricos em açúcar, gordura e sal”, diz e repete Kessler. Para entender esse desejo sem fim, a ciência da gordura — que já analisou nosso metabolismo e reações fisiológicas — agora muda de foco. “As pesquisas sempre buscaram o que acontece em nosso corpo enquanto comemos. Mas a verdadeira pergunta é: o que acontece em nosso cérebro?”, diz Kessler. Entender isso é essencial para que possamos reprogramar nossa mente. E dar início a uma reabilitação alimentar — a única saída para se pensar como um magro.

GORDURA DÁ LARICA
Em junho, cientistas da Universidade da Califórnia e do Instituto de Tecnologia da Itália publicaram um estudo revelando que a ingestão de alimentos gordurosos libera no intestino endocanabinoides. Qualquer semelhança do termo com a Cannabis sativa, a planta da maconha, não é coincidência. Esses químicos são parecidos com aqueles encontrados em um cigarro feito com ela e que costuma causar um apetite voraz — a famosa larica pós-baseado. No experimento, ratos alimentados com gordura não conseguiam parar de comer. Já os que ingeriram só proteína ou carboidrato se deram por satisfeitos mais rapidamente. “Provavelmente, os endocanabinoides reduzem a mensagem de saciedade que se origina no intestino e é enviada ao cérebro”, afirma Nicholas DiPatrizio, professor do Departamento de Farmacologia da Universidade da Califórnia.

Não é só gordura que tem essa capacidade de nos fazer continuar comendo mesmo quando já estamos supostamente satisfeitos. “Toda comida prazerosa pode neutralizar os sinais de saciedade”, diz o neurocientista David Linden, autor do livro A Origem do Prazer (lançado no Brasil em agosto pela Editora Elsevier). Aí também entram os pratos ricos em açúcar e sal, que liberam em nosso cérebro mais dopamina, um neurotransmissor responsável pela sensação de felicidade e bem-estar, do que os demais tipos de alimentos. Um truque da natureza para que os homens das cavernas sobrevivessem.

Na dieta dos nossos antepassados, alimentos com sal, gordura ou açúcar eram raros — as refeições não tinham mais que 10% de lipídios, as gorduras que vinham da carne. Nosso vício em sal não é totalmente explicado pela ciência. Mas os pesquisadores desconfiam que seja uma estratégia evolutiva para compensar o sódio perdido no suor. Já a gordura e o açúcar são reservas naturais de energia: fomos programados para abocanhá-los sempre que os encontramos pela frente. “Mas sabemos que se você comer açúcar, gordura e carboidratos refinados [que se transformam rapidamente em açúcar na digestão] repetidamente, isso irá alterar seus circuitos de prazer”, afirma Linden. Com o tempo, as células cerebrais não irão responder de forma tão intensa ao estímulo provocado por esses ingredientes. Como acontece com a heroína, o efeito enfraquece com o passar do tempo. E aí você precisa de mais quantidade da substância para sentir o mesmo barato.

O CAMINHO DO VÍCIO | Gordura, sal e açúcar ativam nosso circuito de prazer. Saiba como:

VÍCIO EM COMIDA
O deleite com os alimentos funciona em duas fases. Primeiro vêm as preliminares: sentir um cheiro gostoso, passar na porta do restaurante onde se experimentou um jantar dos deuses ou assistir a uma propaganda de biscoitos recheados na TV. “É daí que vem o verdadeiro poder da comida: da antecipação do prazer”, afirma Kessler. Esses estímulos já são suficientes para fazer nosso cérebro liberar dopamina. A substância — também responsável pelos impulsos de fuga — cria o desejo e nos faz correr atrás do que for necessário para comer aquele prato tentador. Quando você, de fato, abocanha a gostosura, mais dopamina é liberada. E também opioides. Essas substâncias farão não apenas com que você sinta prazer, mas aumentarão seu desejo e irão motivá-lo a buscar mais comida. Para evitar que esse ciclo tenha início, é necessário parar no comecinho. Mude o caminho de casa para o trabalho para não passar na frente do tal restaurante e evite chegar muito próximo da banca de pastel para não ser seduzido pelo cheirinho de fritura. O prazer proporcionado apenas pela ideia de que você está prestes a se esbaldar com uma delícia dessas já pode fazer você perder o controle.

A prova veio de um estudo divulgado em abril, em que pesquisadores da Universidade de Yale, EUA, reuniram 48 mulheres, entre magras e acima do peso, para testar o quanto ficavam tentadas ao ver um milkshake de chocolate. Após 4 a 6 horas em jejum, as voluntárias olhavam para uma foto da bebida. Somente depois podiam saboreá-la de fato. Nos dois momentos, seus cérebros foram escaneados. Em algumas mulheres, os cientistas observaram um padrão de atividade de neurônios comum também no vício em drogas: a simples sugestão da comida ativava mais o sistema de prazer e recompensa do que ingeri-la propriamente. Essas mulheres tinham uma fissura por comidas calóricas maior do que a normal (já que liberavam mais dopamina nas preliminares) e uma satisfação inferior à média ao abocanhar as gostosuras (quando os químicos de bem-estar vinham menos do que o esperado). Resultado: elas comiam mais como forma de compensação.

O curioso é que esse padrão não foi visto apenas em mulheres obesas, mas também nas magras. “Estar dentro do peso não quer dizer que você não seja viciado em comida”, diz Ashley Gearhardt, pesquisadora do Centro Rudd para Política Alimentar e Obesidade da Universidade de Yale. Algumas pessoas compensam a comilança com dias sem colocar quase nada na boca ou com muito exercício físico, mas correm o risco de ganhar peso mais adiante.

A má notícia: somos viciados em gordura, sal e açúcar. A boa: novas pesquisas revelam que podemos reprogramar nossa cabeça para não cair em tentação. É o rehab alimentar
OS VILÕES
1. BEBIDAS ADOÇADAS > Nosso corpo não interpreta as calorias dos líquidos como faz com os alimentos sólidos. Sucos, refrescos e refrigerantes saciam pouco e nos fazem comer mais. Quando há adição de açúcar, costuma ser em exagero.
2. GRÃOS REFINADOS > Pão e arroz branco logo viram glicose na digestão. Assim, há pouca diferença entre eles e uma tigela de açúcar puro.
3. BATATAS > São as piores. Rapidamente digeridas, viram glicose. As fritas são ainda mais viciantes, por causa da gordura e pela textura crocante por fora e macia por dentro, que ativam os circuitos de prazer.
4. CARNES > Evite até o fim as processadas (como hambúrgueres e salsichas) . Além da adição de gordura e açúcar, é como se a indústria já fizesse metade da digestão por nós. Macias e desmanchando na boca, só estimulam a comilança.
5. DOCES > Supercalórico, o açúcar é processado pelo corpo em tempo recorde e não deixa você satisfeito. É um dos ingredientes que dispara nosso sistema de vício no cérebro. Misturado à gordura (como em sorvetes) esse efeito é agravado.


PONTO G DO CÉREBRO
A grande dificuldade em resistir a essas comidas tão saborosas e viciantes é que elas provocam uma verdadeira festa em nossa cabeça, nos fazem liberar químicos do prazer de maneira instantânea. E a sensação de êxtase pode ir além se houver novidade e variedade em seu prato, já que as células cerebrais têm preferência. Algumas respondem ao gosto, outras à textura dos ingredientes, ao seu cheiro, à simples visão ou à temperatura da comida. Os neurônios ligados ao açúcar irão vibrar quando você come um doce, por exemplo. Os que adoram sal vão enlouquecer na presença de uma coxinha. Agora, imagine que você coma um quitute que misture doce, crocante e macio, quente e frio — como um sorvete com calda de chocolate fumegante em uma casquinha de biscoito salpicado por balas coloridas. Diversos neurônios vão acender ao mesmo tempo e fazer uma verdadeira rave em sua cabeça. A sensação é praticamente irresistível, mas cada vez que você cede a ela, só fortalece o vício.

Toda essa comilança chega ao chamado hedonic hot-spot (ponto quente do prazer), uma espécie de ponto G do cérebro que, diferente do ponto G feminino, pode ser encontrado em regiões diversas. “Do tamanho de uma cabeça de alfinete, esses pontos levam a um pico de prazer quando são estimulados por opioides ou endocanabinoides”, afirma o professor de biopsicologia e neurociência da Universidade de Michigan, Kent Berridge. “A combinação de gordura e açúcar é muito mais potente do que os dois ingredientes separados”, diz Keller. Isso explica por que preferimos um brownie suculento a uma colher cheia de açúcar cristal. A somatória de sensações torna o prazer mais potente e a vontade de comer foge do controle. Para piorar, o mundo atual nos empurra para esses desejos o tempo todo.

A evolução que nos levou a fazer de tudo para comer alimentos calóricos, há milhares de anos, não previu que hoje haveria lojas de conveniência e lanchonetes a cada esquina. “O sistema que era útil à sobrevivência humana tornou-se muito perigoso, porque o excesso de consumo leva à obesidade, diabete e alguns tipos de câncer”, afirma o biopsicólogo Gary Beauchamp, diretor do Monell Center, instituto americano de pesquisa em paladar e olfato. Nossos antepassados pré-históricos precisavam armazenar todas as calorias disponíveis. Hoje, a maior parte do tempo estamos expostos a anúncios apelativos de comidas superdoces e gordurosas. Nunca foi tão fácil e barato conseguir salgadinhos e refrigerantes. E a indústria vem tomando proveito das descobertas sobre nosso vício em comida. “Os alimentos vêm sendo alterados com o objetivo de ficarem muito mais estimulantes. Nossa cabeça simplesmente não sabe como reagir a eles e acabamos comendo demais”, afirma Gearhardt.

A pesquisadora diz que a comida está tomando o papel que foi do tabaco há décadas. Quando fumar não era socialmente estigmatizado, o cigarro era fácil de se conseguir e exposto em todo lugar: bares, lanchonetes, supermercados. Com as campanhas contra essa indústria, a exposição diminuiu. O hábito caiu junto, mas abriu espaço para outros vícios. “Dos anos 60 até agora, o peso médio de um americano adulto aumentou 11 quilos”, afirma Linden. Os brasileiros também estão ficando mais cheinhos. Segundo dados do IBGE divulgados em julho, o excesso de peso já atinge metade da população. “Para algumas pessoas poderia ser o álcool, as drogas, o sexo ou a jogatina. Mas o vício socialmente mais aceito hoje certamente é o da comida”, diz Kessler. Afinal, vivemos em busca do prazer — cientificamente falando. Para se livrar de tal vício, que, em diferentes graus, atinge 85% da população mundial, só passando por um programa que o pesquisador chama de reabilitação alimentar.

NEM BOM, NEM RUIM
1 E 2. QUEIJO E MANTEIGA > Não se esforce para consumir apenas as versões light. Elas não fazem você ser mais magro do que alguém que se esbalda com as versões integrais. Uma fatia gorda de parmesão pode deixar você mais saciado que cottage. E fazê-lo comer menos.
3. VEGETAIS > Frutas e legumes não estão relacionados com perda ou ganho de peso. Mas podem ser uma boa se ocuparem o lugar daqueles alimentos supercalóricos.
4. LEITE > O leite é uma exceção entre as bebidas. Apesar de o cérebro normalmente não encará-las como fonte de caloria, nesse caso, a gordura e a proteína podem deixar você satisfeito antes. Proteínas são o grupo de alimentos que mais saciam.


FOOD REHAB
Nem pense na dieta da sopa, da Lua, dos carboidratos. Dieta não funciona. “Pode até fazer você perder alguns quilos mas, se depois você retornar ao seu antigo ambiente, seu cérebro volta a disparar o ciclo vicioso e você irá engordar de novo”, diz Kessler. Ele só acredita em uma saída: reprogramar a mente. “Precisamos estabelecer novos circuitos em cima dos antigos, aqueles que são ativados em resposta aos alimentos ricos em gordura, sal e açúcar”, diz. Um dos exercícios para chegar lá é olhar a comida engordativa não como algo saboroso, que trará recompensas. Mas pensar que, a médio prazo, aquele prato fará você se sentir mal, ganhar peso e até ter problemas de saúde. Nada fácil.

Assim como vale mudar o caminho de casa para o trabalho para evitar a lembrança ou um cheirinho tentador, é cauteloso não entrar na cozinha ao chegar em casa. Quando você passa longe das tentações, corta o ciclo de vício pela raiz. Por mais que você pense em um hambúrguer delicioso, se ele não está por perto e não há a menor chance de comê-lo, seu cérebro já não libera tanta dopamina. Logo, você não fica tão fissurado pelo sanduíche. O neurologista da Universidade McGill, no Canadá, Alain Dagher, comprovou isso em fumantes. Ao escanear o cérebro de voluntários, percebeu que os que haviam sido avisados de que receberiam cigarros ao final da sessão liberaram mais dopamina do que aqueles que sabiam que teriam que ficar sem fumar por mais 4 horas depois dela. O segredo, então, é dificultar o acesso às comidas gordas.

Repetir o cardápio todo dia também reduziria a fissura. Em abril, o professor de medicina preventiva da Universidade de Buffalo, Nova York, Leonard Epstein, publicou um estudo que demonstra que monotonia na mesa pode ajudar a perder peso. No experimento, mulheres cumpriam tarefas, como fazer uma palavra cruzada, e eram recompensadas com docinho e um pedaço de queijo. Foram cinco testes com dois grupos. Com o passar das sessões, observou-se que as voluntárias que iam semanalmente ao laboratório continuaram empenhadas em ganhar o queijo e o doce, mas as que frequentavam o local diariamente diminuíram seu desejo. “Elas se habituaram aos sabores e isso reduziu a motivação para comer”, diz Epstein. A tática pode funcionar para qualquer um que queira perder peso. Para não tornar as refeições um tédio, o pesquisador recomenda diminuir a variedade de alimentos ricos em gordura, sal e açúcar e, ao mesmo tempo, aumentar a de vegetais, laticínios e grãos — capazes de nos fazer parar de comer antes.
OS MOCINHOS
1. CASTANHAS > Apesar de calóricas e gordurosas, podem levar à perda de peso. Além de gerar saciedade mais rapidamente, pouco se sabe sobre o fenômeno. Mas cientistas afirmam que esta é a prova de que o teor de gordura não é o único que se deve considerar na escolha de um alimento.
2. PÃES E GRÃOS INTEGRAIS > Entram na categoria dos alimentos minimamente processados que deixam o trabalho completo da digestão para o seu corpo. Como o serviço leva tempo, garante uma trégua para sua cabeça não pensar em comida.
3. IOGURTE > Esse é o herói do emagrecimento — sim, mais do que vegetais e grãos integrais —, pois ajuda a povoar nosso organismo com bactérias benignas. Cientistas acreditam que quando se tem poucas bactérias benignas no corpo, se engorda (não por acaso, bovinos são tratados com antibióticos para ganhar peso).


O PARADOXO DA GORDURA
Não adianta contar o número de calorias de um prato. Ingredientes mais calóricos podem, no fim das contas, fazer você emagrecer. É o que demonstra um longo estudo da Universidade de Harvard. Ao longo de 20 anos, os pesquisadores acompanharam os hábitos alimentares e o peso de mais de 120 mil norte-americanos saudáveis e não-obesos. O resultado do estudo, publicado em junho, comprova a tese, repetida pelos nutricionistas: grãos e massas integrais, castanhas e iogurtes nos fazem comer menos porque são eficientes em mandar para o cérebro os sinais de saciedade: sensores em nosso estômago e intestino informam à nossa cabeça os níveis de nutrientes já ingeridos e o quanto nossos órgãos digestivos já estão cheios. A gordura entraria nessa categoria de nos satisfazer rapidamente, exceto pelo fato de que ela demora demais a enviar à nossa cabeça a mensagem de que já nos alimentamos o suficiente. Nesse meio tempo, continuamos a comer. É o chamado paradoxo da gordura: ela sacia mas, ainda assim, nos faz comer mais.

A descoberta dos pesquisadores americanos e italianos sobre a liberação no intestino de endocanabinoides pode ajudar a entender essa contradição. Afinal, especulam os cientistas, esses químicos similares aos da maconha são os que prejudicam o envio dos sinais de saciedade ao cérebro. A nova pesquisa também abre perspectivas para a criação de remédios que bloqueiem essas substâncias e, assim, nos façam comer menos. “Foi a primeira vez que um estudo mostrou que é possível inibir os endocanabinoides no intestino, ou seja fora do cérebro, eliminando possíveis efeitos colaterais psíquicos”, afirma DiPatrizio. A hipótese foi testada em ratos, mas ainda está longe de fazer você poder se esbaldar na comilança sem se preocupar com os quilos extras.

Enquanto gordura, sal e açúcar ainda deixam você na fissura, o melhor é investir no programa de reabilitação alimentar. Resista à tentação das comidas supergordas e incrivelmente sedutoras e aposte nos pratos que vão deixá-lo satisfeito por mais tempo. Grãos integrais e alimentos cheios de fibras, como frutas e legumes, farão você passar mais horas sem comer após uma refeição. Sim, não é fácil ir contra nossa tendência natural a ter cabeça de gordo. De vez em quando você terá recaídas. Mas, aos poucos, pode conseguir reprogramar sua mente. E verá que nada garante tantos quilos a menos como ter uma cabeça de magro.


Fonte: http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI260314-17773,00-CABECA+DE+MAGRO.html