quarta-feira, 29 de junho de 2011

Férias 2011...


Chegou!!!!! Estou de férias!!!!! Yeah!!!!!

Agora o duro é me controlar para comer direito com 3 pequenos em casa... ai ai ai...

Nossa Senhora da Boa Intenção me ajude!! rs..rs..

Nutricionistas...

Essas são as minhas amadas nutricionistas Sabrina (loira) e a Mariam (não sei a cor do cabelo dela...rs..rs...)

Elas são umas fofas (no bom sentido) e muito queridas!!

Ontem durante a (infeliz) pesagem eu contei sobre esse blog e elas adoraram a ideia!!! Fiquei tão feliz!!

Sentirei muita falta da Mariam, pois ontem foi o último dia dela na Universidade Metodista... snif snif...

Mas seja muiiiiito feliz Habiba!!! Estarei torcendo por você, mas sentirei a sua falta!!

Minhas incentivadoras!! Amo vocês!!

Nessa foto a Sabrina ficou de "Jade"!! rs..rs..

Pesagem 28 06 11

Oiiii!!

Pois é!! Depois de um feriadão de quatro dias... engordei! Foi só um quilo praticamente, mas tava bom comer!!

Paciência!! Vou me segurar para despachar esse um quilo que voltou...

Como eu disse, vou devagar e sempre!! Não vou ser radical e por isso não estou sofrendo!!

Acho mais saudável assim... sendo feliz!!

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Alimentação saudável para redução dos sintomas do hipotireoidismo...


É o meu caso...

Pacientes com hipotireoidismo podem se beneficiar de uma dieta mais específica para a redução de sintomas comuns à doença como inchaço, fadiga, enfraquecimento de unhas e cabelos, ao mesmo tempo em que ajuda na redução ou manutenção do peso. Muitas vezes associa-se o hipotireoidismo ao ganho de peso, mas na realidade a influência é baixa. “A pessoa engorda porque o corpo funciona mais lentamente e gasta menos energia”, diz a médica Gisah Carvalho, professora da Universidade Federal do Paraná e Presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia – Paraná (SBEM –PR).

Existem alimentos e nutrientes que podem contribuir para uma melhor qualidade de vida para os pacientes de hipotireoidismo e também alguns que devem ser evitados. O consumo excessivo de sal, por exemplo, pode ser nocivo porque o sal de cozinha é iodado por força de lei com o intuito de prevenir o déficit de iodo. Mas seu excesso pode levar a danos na tireoide e favorecer o aparecimento de doenças autoimunes como o hipotireoidismo por doença de Hashimoto.

Uma dieta saudável para pacientes com hipotireoidismo inclui grãos integrais, alimentos naturais, abundância de frutas e vegetais e uma boa oferta de frutos do mar e proteínas magras. “Sabemos que a obesidade aumenta o risco de câncer da tireoide. Por isso, uma alimentação saudável provavelmente ajude a evitar obesidade e câncer. Também sabemos que alguns produtos químicos são tóxicos e, por isso devem-se evitar alimentos industrializados assim como medicamentos desnecessários” diz Dra Gisah.

Entre os nutrientes, o selênio pode ser o mais importante porque é antioxidante e é essencial para a conversão do hormônio da tireoide T4, que o corpo produz, em sua forma ativa, T3. A castanha do Pará é uma rica fonte do nutriente, que pode também ser encontrado em algumas carnes magras.

A ingestão de fibras também é muito importante para o controle do peso e alívio de um dos sintomas do hipotireoidismo, a constipação. Alimentos como feijão, arroz e outros grãos, trigo e aveia são ricos em fibras. O consumo da aveia também contribui para o controle do colesterol. Segundo a endocrinologista, existe uma relação direta entre TSH e colesterol. “Mesmo na faixa de normalidade do TSH*, esta relação se mantém. Isto é, quanto maior o nível de TSH mais elevado é o colesterol também. Isso ocorre porque os hormônios tireoidianos são essenciais no metabolismo das gorduras e do colesterol”, diz a médica.

Acelerando o metabolismo

O ideal para a dieta de pacientes com baixa função da tireoide é incluir pequenas refeições espalhadas ao longo do dia. Comer cinco ou seis porções (Café da manhã, lanche, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia) ajudará a equilibrar o metabolismo lento, que faz parte do hipotireoidismo. O importante é que as refeições tenham em torno de 300 calorias cada, e para perda de peso, é importante combiná-las com a prática de exercícios físicos.

Conselhos gerais também valem para pacientes com hipotireoidismo, como beber bastante água, comer mais frutas e verduras e menos massas, pão e amidos, e não deve deixar passar mais de cinco horas entre as refeições.

Atenção na dieta

O consumo excessivo de alguns vegetais que contém cianetos (mandioca) ou substâncias que interferem na absorção de iodo também pode ser nocivo. A ingestão de brócolis, repolho, couve-flor, mostarda, amendoim, rabanete e couve de Bruxelas deve ser comedida. “Só o consumo excessivo e constante, ou seja, comer todo dia uma boa quantidade, é que tem efeito bocígeno”, diz a Dra. Gisah.

Quanto ao consumo da soja, que já foi apontada como vilã do hipotireoidismo, a médica esclarece que isoflavonas podem interferir na absorção do iodo, mas usar leite ou óleo de soja não vai causar dano à saúde.

*TSH é o hormônio estimulador da função tireoidiana, que é controlado pela hipófise (também conhecida como glândula pituitária e que está localizada na base do cérebro).

Fonte: http://www.melhoramiga.com.br/2010/12/alimentacao-saudavel-para-reducao-dos-sintomas-do-hipotireoidismo/


Exercícios físicos a noite ou na madrugada exigem preparação especial...


Especialista do Hospital das Clínicas orienta sobre como fugir do sedentarismo sem prejudicar o sistema imunológico

Para fugir do sedentarismo sem alterar a rotina de trabalho, muitas pessoas – especialmente moradores de grandes cidades – têm optado por se exercitar à noite ou, até mesmo, na madrugada.

Segundo o fisiologista Paulo Roberto Silva, da área de medicina esportiva do Instituto de Ortopedia do Hospital das Clínicas da FMUSP, ligado à Secretaria de Estado da Saúde, os exercícios controlados são sempre bons à saúde, desde que o sono esteja em dia e uma boa alimentação tenha sido feita.

O alerta é importante. O fisiologista ressalta que a falta de tempo tem atraído clientes às academias 24 horas, mas se a atividade for feita com o corpo cansado e mal nutrido, o que era para ser bom pode ter resultado diferente. “Sem uma noite de sono reparadora, a sobrecarga de estresse acumulada no dia e o esforço gerado pelos exercícios físicos vão prejudicar o sistema imunológico”, explica.

Sobre a alimentação, o fisiologista lembra que durante a madrugada e antes de dormir o ideal é comer pouco. Entretanto, para isso, é necessário, durante o dia, uma boa base alimentar. “Alimentos que contenham zinco, como arroz, maçã, castanha e chás, são fundamentais para quem vai se exercitar após o trabalho, pois eles ajudam a diminuir a quantidade de cortisol, o hormônio ligado ao estresse humano”, observa, acrescentando que o excesso de cortisol no organismo afeta principalmente o coração.

Paulo Roberto ressalta que, apesar do aumento das inscrições nas academias 24 horas, o número de desistências também é alto. “Pelos desquilíbrios causados pela falta de sono ou pela má alimentação, o corpo começa a não render como deveria. O indivíduo acaba se

Alimentação colorida para uma vida saudável


Um prato com alimentos coloridos ajuda a evitar doenças, fortalece o corpo e ajuda emagrecer.

As cores dos alimentos são essenciais para manter uma dieta equilibrada, cada pigmento representa um nutriente com propriedades específicas que ajudam a prevenir doenças. Um prato colorido e harmônico, além de encher os olhos de todos, é a melhor opção para uma refeição balanceada e saudável.

A diversidade de cores é importante para a ingestão mais completa dos componentes que ajudam a prevenir doenças e fortalecer o corpo. Alimentos frescos são ideais para quem busca uma alimentação saudável, rica em nutrientes e saborosa. As cores são importantes para fortalecerem o sistema imunológico e preparar o corpo para combater substâncias cancerígenas e doenças. Quanto mais colorido o prato, maior a variedade de nutrientes que serão ingeridos.

• ALIMENTOS VERMELHOS: Ricos em licopeno, antioxidante celular, indicados contra depressão e cansaço.

• ALIMENTOS AMARELOS E ALARANJADOS: Ricos em betacaroteno, importante na manutenção dos tecidos, cabelos, visão noturna e imunidade. Além de serem ricos em Vitamina C.

• ALIMENTOS VERDES: resultante da clorofila, uma excelente fonte de energia e age como desintoxidante e contra os radicais livres, ricos também, em fibras, ácido fólico e ferro.

• ALIMENTOS ROXOS E PRETOS: Ricos em ferro e Vitamina B1, ajudam a retardar o envelhecimento e cuidam da manutenção do funcionamento do coração, músculos e sistema nervoso.

• ALIMENTOS BRANCOS: Ricos em flavina e cálcio, atuam na manutenção de dentes e ossos, metabolismo e funcionamento do sistema nervoso e músculo.

• ALIMENTOS MARRONS: Ricos em fibras, ajudam no funcionamento do intestino, combate ao mau colesterol e diabete. Além de efeitos antioxidantes, anticoagulantes e vasodilatador.

Fonte: http://www.melhoramiga.com.br/2011/06/alimentacao-colorida-para-uma-vida-saudavel/

Como deve ser a alimentação para mulheres a partir dos 40 anos?


(é o meu caso a partir de 13 de julho de 2011...rs..rs..)

* Por Gabriela Pimentel

Numa época em que muitas mulheres, na faixa dos 40 anos, precisam se desdobrar nos papeis de esposa, mãe e profissional, num mercado de trabalho cada vez mais competitivo, o estresse e a correria do dia a dia podem causar danos à saúde e originar, inclusive, doenças crônicas. Para lidar com tantas atribuições, sem sobrecarregar o organismo, uma grande aliada é a alimentação. Se for adequada, além de ajudar a evitar problemas de saúde, proporciona energia.

A alimentação deve ser variada e equilibrada, com a inclusão de alimentos fontes de fibras, antioxidantes e antiinflamatórios. Sem esquecer a ingestão de água, elemento fundamental.

Mulheres que já estão no período da menopausa devem incrementar o cardápio com alimentos que contenham fitoestrógenos, pois auxiliam no alívio de alguns sintomas, como as ondas de calor. Para driblar tensões emocionais, a dica é incluir alimentos com nutrientes importantes para a produção de serotonina, neurotransmissor do bem-estar e do bom humor.

Nessa faixa etária, as mulheres encontram mais dificuldade para emagrecer. Isso ocorre devido a vários fatores, como a redução do metabolismo, alterações hormonais, qualidade do sono, ansiedade, estresse, depressão e estilo de vida. As mudanças hormonais podem contribuir, em parte, para o descontrole do peso. Portanto, cabe manter o equilíbrio do estilo de vida e de fatores psicossociais nessa fase para que se consiga também o equilíbrio do peso.

Realizar atividade física regularmente, dormir bem e buscar aliviar o estresse são cuidados-chave para a boa forma, bem como hábitos alimentares saudáveis como, por exemplo, fazer cinco a seis refeições por dia, alimentando-se a cada três horas. Isso mantém o metabolismo ativo, evita beliscos e que se chegue com muita fome à próxima refeição. É importante não deixar de tomar o café da manhã. Além de favorecer o aumento do metabolismo, há o dia inteiro para que a energia dessa refeição seja gasta.

Ingerir pelo menos dois litros de água por dia é fundamental, mas deve-se evitar a ingestão de líquidos às principais refeições, pois pode atrapalhar o processo digestivo. Realizar as refeições em locais calmos e não se alimentar em situações de estresse e nervosismo; alimentar-se em local adequado, sentado e não fazer nada diferente enquanto come, para que não se perca a noção do quanto e o quê se está comendo; iniciar as principais refeições pelo prato de salada, o que ajuda na saciedade; mastigar bem e devagar os alimentos até que estejam bem triturados; evitar alimentos gordurosos e calóricos e excesso de sal, temperos prontos, conservas e enlatados, assim como a ingestão de bebidas alcoólicas, refrigerantes e sucos artificiais, são medidas que contribuem para o equilíbrio do peso.

Alimente-se bem, saboreie suas refeições e tenha uma melhor qualidade de vida, aos 40, aos 50, aos 80 anos….

* Gabriela Pimentel é nutricionista e atende no BSpace Health Center, em Vinhedo. Graduada em Nutrição pela Universidade Federal de Santa Catarina, especializou-se em Nutrição nas Doenças Crônicas Não-Transmissíveis, pelo Instituto Albert Einstein. É Pós-graduanda em Nutrição Clínica Funcional.

Fonte: http://www.melhoramiga.com.br/2010/09/como-deve-ser-a-alimentacao-para-mulheres-de-40-anos/

Má alimentação estimula a proliferação do fungo da cândida


Ao contrário do que muita gente pensa não é só o biquíni molhado, o sexo sem proteção, as calças apertadas e as mudanças hormonais que favorecem o crescimento e proliferação do fungo da cândida. Muitas mulheres apresentam a doença por conta da má alimentação, que torna o organismo ambiente preferido para os fungos e toxinas se proliferarem.

Cerveja, vinho, queijos, amendoim, pistache, castanha de caju e até alguns alimentos considerados naturais, como o milho verde e o côco ralado, podem afetar principalmente o sistema digestivo e ainda provocar desequilíbrio e distúrbios hormonais. E não pára por aí. As deficiências nutricionais, a função digestiva precária, os períodos de baixa imunidade e baixa energia corporal também estimulam o crescimento desses “bichinhos” famosos por causar uma secreção branca, coceira e até irritação na vagina.

Uma alimentação equilibrada e rica no consumo de peixes em pelo menos três vezes por semana e complementada com alho, cebola, azeitonas, azeite de oliva, hortaliças verdes, ervas, especiarias, semente de linhaça e produtos à base de soja como o tofu e o iogurte, melhoram e muito a função digestiva e o sistema imunológico e ainda ajudam a bloquear o caminho entre a cândida e o ambiente propício para o seu crescimento.

Os alimentos amigos das mulheres:

-peixe

-alho

-cebola

-azeitonas

-azeite de oliva

-hortaliças verdes escuras

-ervas

-especiarias

-semente de linhaça moída

-cereais integrais

-grãos

-tofu

-iogurte

Os inimigos:

-pão branco

-cafeína

-doces em geral

-bebidas alcoólicas

-cerveja

-vinho

-queijos

-amendoim

-pistache

-castanha de caju

Clínica Dr José Bento de Souza

Fonte: http://www.melhoramiga.com.br/2011/01/ma-alimentacao-estimula-a-proliferacao-do-fungo-da-candida/

Corrimento vaginal pode ser evitado


Alimentação e hábitos simples podem ajudar a prevenir este problema comum e freqüente nas mulheres

O aumento da umidade vaginal, associada ou não à irritação, coceira, ardência ou odor mais intenso, pode ser um quadro de corrimento ou vaginite, outro nome pelo qual essa doença ginecológica é conhecida. Este ‘liquido’ que molha a calcinha pode apresentar em sua composição fungos e bactérias que estimulam as células da vagina e do colo do útero a produzirem a secreção, como uma forma de defesa do organismo.

A ginecologista Dra. Rosa Maria Neme (CRM SP-87844), doutora em Medicina na área de Ginecologia pela Universidade de São Paulo e Diretora do Centro de Endometriose São Paulo, clínica de São Paulo especializada no tratamento da doença, explica que corrimento normal é aquele sem cheiro, que não coça e que pode ter uma coloração parecida a de clara de ovo ou um pouco mais branca.

“Este tipo de corrimento pode aparecer, preferencialmente, na época da ovulação, que corresponde ao meio do ciclo menstrual e pode se intensificar no período antes da menstruação. Algumas mulheres podem apresentar uma secreção maior em relação às outras, principalmente se estiverem fazendo uso de algumas medicações, como anticoncepcionais. O corrimento mais comum é chamado de candidíase. Ele aparece por uma proliferação de um fungo, chamado cândida que está presente, normalmente, no intestino de qualquer mulher”.

De acordo com Dra. Rosa, às vezes, por uma diminuição da defesa do corpo da mulher, seja por estresse ou uso de antibióticos, por exemplo, este fungo começa a crescer de forma descontrolada e passa para dentro da vagina, dando sintomas de um corrimento branco (como um leite coalhado), coceira e ardor vaginal. Nestes casos, o tratamento é feito com comprimidos e cremes vaginais, de acordo com o agente identificado e com prescrição médica.

Para identificar quando a situação é anormal, a ginecologista revela que o corrimento tem uma coloração mais amarelo esverdeada, coça e dá ardor na vagina. “Nestes casos, deve-se procurar um ginecologista para avaliar qual a causa do problema e, assim, tratá-lo adequadamente”.

Como evitar

A alimentação tem um papel fundamental no organismo humano. Na mulher, uma dieta equilibrada ajuda ainda a manter a produção constante dos lactobacilos vaginais – que são as células de defesa da vagina – e manter o pH (grau de acidez) vaginal equilibrado. “Isso evita a colonização de bactérias estranhas ao corpo da mulher.

Sob o aspecto preventivo, a especialista lista alguns hábitos simples que devem e podem ser adotados no dia a dia, que evitarão que este desconforto comprometa a saúde e bem estar feminino. “Tudo que aumente o calor e a umidade dentro da vagina, pode predispor a um aumento do corrimento”, finaliza.

Dentre as medidas aconselhadas pela médica estão:

1. Dormir sem calcinha: diminui o calor na vagina;

2. sar calcinhas de algodão: este tecido esquenta menos que os sintéticos, por isso o fungo ou bactéria têm uma menor tendência de se proliferar;

3. Uso de sabonetes íntimos diariamente no banho: eles ajudam a manter a flora vaginal normal equilibrada;

4. Não usar roupas apertadas: aumentam a produção do calor e tornam a vagina um bom meio de proliferação desses fungos;

5. Não deixar a calcinha pendurada no banheiro: isso pode estimular a proliferação dos fungos na lingerie;

6. Secar os pelos da vulva com um secador após o banho: isto ajuda a diminuir a umidade da região.

Dra. Rosa Maria Neme (CRM SP-87844) -

Fonte: http://www.melhoramiga.com.br/2011/06/corrimento-vaginal-pode-ser-evitado/

Saiba se você esta se autossabotando?


Você segue à risca aquela dieta dificílima, desenvolve hábitos alimentares mais adequados e saudáveis, até que chega, enfim, ao peso ideal. Contudo, em momentos descontraídos e aos finais de semana, passa a exagerar nos alimentos calóricos, e volta à estaca zero. No trabalho, quando você percebe que está crescendo e tem a oportunidade de ocupar um cargo melhor, sem se dar conta, deixa de assumir alguns compromissos, começa a atrasar as atividades funcionais, horários e prazos. Pronto, lá se foi sua chance. Quando o assunto é relacionamento amoroso, você nunca está satisfeito. Trocou inúmeras vezes de parceiro, mas acaba sempre se relacionando com pessoas parecidas, mantendo relações semelhantes às do passado.

É, caro amigo, você não está sozinho nessa: milhares de pessoas apresentam comportamentos como estes que caracterizam a autossabotagem, um mecanismo utilizado diante de situações específicas que podem acontecer em vários momentos de sua vida.

A palavra sabotar tem origem francesa — sabot, que significa tamanco ou sapato feito de madeira. No século 19 os operários das ferrovias costumavam colocar seus sapatos entre as engrenagens para danificar as máquinas e impedir o percurso normal dos trens, como forma de protesto.

O comportamento de sabotar a si próprio pode estar relacionado à preocupação do indivíduo em ser aceito e compreendido pelos demais, ou à necessidade de reconhecimento e inserção no meio social e cultural. Mas, não é apenas isso. A psicóloga clínica do Hospital Amaral Carvalho, Viviane da Silva Clemente, explica que muitas vezes a pessoa se autossabota para não ter que enfrentar situações com as quais não consegue lidar normalmente. No entanto, essa “auto-proteção” é distorcida da realidade. “No caso da dieta, com frequência ela tem a lembrança de ouvir durante a sua vida que sempre seria gorda, por isso acredita que não vai ser diferente”, diz.

Sem querer, querendo

Como um ciclo de padrões de comportamento errôneos e muitas vezes destrutivos, que são apreendidos e elaborados como verdadeiros e que passam a ser repetidos no dia-a-dia, a autossabotagem torna-se automática. Sem ser percebida, acontece de maneira irracional e faz com que o sujeito se distancie dos demais e de seus objetivos, especialmente ao se deparar com possibilidades de mudança. “Não raro as pessoas burlam suas próprias conquistas e realizações para evitar o reconhecimento, qualquer tipo de crítica ou o confronto com a realidade”, salienta Viviane.

O motivo, segundo a psicóloga, é a dificuldade em desenvolver alguns recursos emocionais como segurança, confiança ou sentimento de capacidade, o que acaba gerando anseios conflituosos para o autossabotador.

Quando os sonhos se tornam pesadelos

Comportamentos e atitudes persistentes que dificultam a realização de algo ou que contribuem para o cultivo de sentimentos de pouca valia, inferioridade e incapacidade, são sinais de autoboicote. “A pessoa começa a perder oportunidades importantes, sofre e fica angustiada com isso. Esses sentimentos são tão intensos que o autossabotador não consegue mais ter satisfação com suas realizações, passa a acreditar que não pode mais ser feliz, desiste de seus sonhos e desejos”, pontua a psicóloga.

Viviane esclarece que a autossabotagem não é considerada uma doença, distúrbio ou transtorno e que o primeiro passo para sair desse ciclo vicioso é a reflexão: identificar os comportamentos repetitivos e prejudiciais. Não é tarefa fácil, mas dessa maneira o indivíduo consegue enxergar possibilidades de mudança e melhora. “Nesse contexto destaca-se a importância do autoconhecimento e avaliações frequentes das experiências profissionais e pessoais de cada um.”

Como uma espécie de alerta para algo que não vai bem em nossa vida, a autossabotagem pode até ser vista como um aspecto positivo. Como? Quando, sozinha, a pessoa consegue identificar e perceber os ciclos repetitivos e começa a quebrá-los, mudando suas ações. “Os conflitos existentes passam a ser facilitadores, e proporcionam realizações, autoafirmação, satisfação pessoal e felicidade”, pontua Viviane.

No entanto, a psicóloga é enfática ao dizer que a partir do momento em que a autossabotagem passa a trazer prejuízos e conflitos, a ajuda de um profissional é imprescindível, pois significa que o sujeito não consegue mudar essa condição por si próprio.

Fonte: http://www.melhoramiga.com.br/2011/06/saiba-se-voce-esta-se-autossabotando/

terça-feira, 14 de junho de 2011

Pesagem 14 06 2011

Euconsegui!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

1.300k a menos!!!!! Vivaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!!

Vou chegando...

Feliz!! Feliz!! Feliz!!

Lá vou eu...

É hoje!!!

Fica na minha cabeça "Será que consegui? Será? Será?"

Estou prestes a descobrir... dá até um frio na barriga...

Logo mais aviso como foi...

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Simpatia para ficar com a barriguinha definida...


TIRAR A BARRIGA

Separe uma vela branca, um copo d'água, uma imagem de UM Santo de sua devoção e uma fita métrica. Meça com a fita métrica a sua barriga, faça uma marca na fita com uma caneta, antes de enrolar a mesma na imagem do Santo.

Coloque tudo isso aos seus pés e deite-se no chão de barriga para cima.

Toque então com a ponta dos dedos da mão na ponta dos pés (que não devem se afastar do chão), dizendo bem alto:

SANTO , ME TIRA ESSA BARRIGA!

Repita isso 500 vezes por dia.

Você vai ver: é tiro e queda!

Obs: Só não faço porque não acredito em simpatias...